Bombeiros de Canas de Senhorim reclamam habitual subsídio Camarário e presidente da direção pode demitir-se

Informação a que tivemos acesso, dá conta que a Associação Humanitária dos Bombeiros de Canas de Senhorim antecipa dificuldades devido à falta de definição do habitual subsídio Camarário de 40 mil euros, relativo a época de incêndios e respetivo pagamento. Borges da Silva anuncia, em reunião de Câmara, que antes de junho não será pago

As dificuldades que diversas Associações de Bombeiros estão a sentir um pouco por todo o país, devido aos atrasos nos pagamentos da Administração Central (uma das mais recentes a de Viseu, que fez com que no passado dia 11 de abril o próprio presidente da Câmara tenho ido em seu “socorro”, entregando pessoalmente um cheque de 55 mil euros que liquida integralmente o apoio concedido para todo o ano – 125 mil euros), estendem-se agora aos Bombeiros Canenses. Ao que apurámos, a dívida do Estado Central (Hospitais e INEM), ascende a mais de 65 mil euros, em 31 de março de 2019 e a autarquia de Nelas ainda não celebrou protocolo com os Bombeiros de Nelas e Canas para o apoio adicional habitual de 40 mil euros, que complementa um outro, no arranque de cada ano, de 25 mil euros. Na reunião de Câmara de 1 de abril, instado pelo Vereador do PSD, Joaquim Amaral ,a dar um ponto de situação sobre este subsídio ainda por definir, o presidente da Câmara, Borges da Silva, terá respondido que “antes de junho não será efetuado o pagamento”, sinalizando que irá haver o apoio complementar. Certo é que o presidente da Associação Canense, Hélder Ambrósio, estará na disposição de colocar o seu lugar à disposição, se muito em breve não for dada uma previsão por parte da autarquia do montante e prazo de pagamento.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies