Vereadores do PS propõem cessar a aplicação de glifosato no concelho de Viseu até ao final de 2019

Nota de Imprensa dos Vereadores do PS Viseu :

Historicamente Viseu-Cidade Jardim expressou sempre o ensejo de ser uma referência nacional em qualidade de vida, metabolismo urbano e ambiente. Ainda ontem, na apresentação de novos camiões da recolha de resíduos da Associação de Municípios da Região do Planalto Beirão, Almeida Henriques referiu que quer Viseu como a cidade “mais ecológica do País”.

O glifosato – herbicida sistémico de amplo espectro, dessecante de culturas daninhas – é um dos pesticidas mais usados no Mundo, sendo o herbicida mais aplicado em Portugal. Contudo, diversos estudos de investigação científica assinalam o glifosato como potencial composto cancerígeno. Em 2015 o glifosato foi classificado pela Organização Mundial de Saúde como “carcinogéneo provável para o ser humano” e o seu uso, em testes, provocou cancro em animais de laboratório.

Nesta semana foi notícia um estudo de investigação exploratório da Plataforma Transgénicos Fora – relativo à exposição de glifosato e sua deteção na urina de voluntários – que aponta dados muito preocupantes da contaminação generalizada de glifosato em Portugal, superior a outros países europeus.  A Plataforma apela a que se acabe com o uso de glifosato e herbicidas sintéticos em geral na limpeza urbana.

De facto, o glifosato é ainda muito aplicado para limpeza de vegetação espontânea em arruamentos e outros espaços públicos. No concelho de Viseu a aplicação de glifosato nos espaços públicos é generalizada, como pode ser comprovado pela colocação muito frequente de avisos públicos pelo centro da cidade e freguesias rurais.

Nos termos do Decreto-Lei n.º 35/2017, de 24 de março, não são já permitidos tratamentos fitossanitários com recurso a produtos fitofarmacêuticos “nos jardins infantis, nos jardins e parques urbanos de proximidade e nos parques de campismo”. Não se verificando, porém, qualquer impedimento legal para outras tipologias de espaços públicos.

Muitos países europeus já baniram o glifosato. Diversos municípios portugueses já não aplicam glifosato, como as cidades do Porto, Braga e Vila Real. Recentemente, Vila Nova de Paiva e S. Pedro do Sul, únicos municípios que baniram o glifosato no distrito de Viseu, aderiram à campanha “Autarquias sem Glifosato” lançada pela Quercus.

Os vereadores do Partido Socialista (PS) na Câmara Municipal de Viseu (CMV) já recomendaram por diversas vezes ao Executivo Municipal a cessação da aplicação do glifosato. Na reunião de 28 de dezembro de 2017, na declaração de voto relativa à abertura de procedimento para “Fornecimento contínuo de limpeza de vegetação espontânea, em espaços públicos, pelo período de 2 anos” (que votaram contra por não estar garantida a na não aplicação de glifosato), os vereadores do PS propuseram a cessão da aplicação de glifosato em espaços públicos do Concelho em operações de limpeza de vegetação espontânea sob sua responsabilidade direta ou indireta.

Para a próxima reunião de câmara, a realizar a 7 de março, os vereadores do PS na CMV remeteram a proposta: “Cessar a aplicação de glifosato no concelho de Viseu até ao final 2019” para ser incluída na Ordem do Dia, “obrigando” o Executivo Municipal a tomar uma posição clara sobre este assunto da maior relevância, muito pertinente numa Cidade que se afirma como “A melhor Cidade para Viver”, com elevados padrões ambientais e de qualidade de Vida.

Com esta proposta os vereadores do PS na CMV propõem ao Executivo Municipal que seja garantida a cessação da aplicação do glifosato em espaços públicos do Concelho em operações de limpeza de vegetação espontânea sob sua responsabilidade direta ou indireta até final de 2019. Recomendam que seja que seja cessada a aplicação de outros herbicidas sintéticos, que, em alternativa aos produtos fitofarmacêuticos em geral, seja efetuado o controle mecânico, térmico, biológico, biotécnico ou cultural de pragas e plantas infestantes. Recomendam ainda que sejam realizadas análises ao glifosato no sistema de abastecimento de água para consumo humano de Viseu.

Viseu, 26 de fevereiro de 2019,

————————————————–

————————————————–

————————————————–

(Lúcia Araújo Silva) (Pedro Baila Antunes) (José Pedro Gomes)

 

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies