Covercar continua a reduzir número de trabalhadores

O nosso jornal teve acesso a informações que dão conta da especial gravidade da situação laboral que parece subsistir na Covercar, empresa situada na Zona Industrial da Ribeirinha, em Canas de Senhorim. 
Um funcionário da empresa contactou o nosso jornal, a relatar diversas situações que indiciam a cada vez mais acentuada redução da atividade da unidade de componentes para a indústria automóvel, com a gradual deslocalização para a fábrica de Marrocos. Uma das decisões da empresa, em linha com o que tem vindo a acontecer desde os primeiros meses de 2018, será a não renovação de mais contratos a prazo, de acordo com o que nos referiu o colaborador, que prefere manter o anonimato. “Mulheres a fazerem trabalho em armazém, deslocalizadas da sua função habitual, máquinas de corte a serem desmanteladas para enviar para Marrocos e trabalhadoras a serem forçadas a trabalhar todos os sábados até ao fim de março, para assim receberam as horas em dívida devido às paragens de Novembro”, são outras situações que nos adiantou, indicando que a empresa terá neste momento, entre 60 e 70 trabalhadores, quando em junho de 2018, teria praticamente o dobro, de acordo com informação que veiculámos na altura.
O nosso jornal, solicitou, via correio eletrónico, esclarecimentos à empresa.
Entretanto a Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda solicitou à Autarquia de Nelas e conforme nota que fez chegar à nossa redação “acesso ao protocolo assinado no ano 2017 entre a Câmara Municipal de Nelas e a empresa Covercar, situada na Zona Industrial da Ribeirinha em Canas de Senhorim, no concelho de Nelas”, no sentido de avaliar o seu cumprimento. 

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies