Idosa esperou 16 horas para ser transportada do Hospital de Tondela para o de Viseu. Bombeiros esclarecem que “não são a única entidade no sistema”

Uma idosa esperou 16 horas pelo transporte de ambulância do Hospital de Tondela para o de Viseu. O caso é relevado pelo próprio Centro Hospitalar Tondela-Viseu (CHTV).

De acordo com a unidade de saúde, a idosa deu entrada na passada terça-feira, 8 de janeiro, à tarde, com suspeita de fratura. “Após ser assistida, entendeu-se que seria necessário transferir a doente para o Hospital de São Teotónio. Neste sentido, foi feito o pedido a várias corporações de Bombeiros, sendo que nenhuma demonstrou possibilidade de fazer o transporte. Este transporte acabou por ser feito na manhã de quarta-feira”, pode ler-se no comunicado da administração do CHTV, que dá conta ainda que “a paciente, depois de observada no Hospital de São Teotónio, acabou por ter alta”.

“Quanto à relação entre o Centro Hospitalar e os Bombeiros, o Conselho de Administração reitera que sempre demonstrou às diversas corporações a sua disponibilidade em resolver os constrangimentos afetos à transferência de doentes não urgentes entre unidades, sendo que já apresentou propostas de alteração ao procedimento atual. Mais se informa que o Hospital cumpre a legislação em vigor desta matéria”, conclui o CHTV.

Comunicado da Federação dos Bombeiros do Distrito de Viseu : 

Face às recentes notícias a que respeita o transporte de ambulância entre o Hospital de Tondela para Viseu e em resposta ao comunicado do Conselho de Administração do Centro Hospitalar Tondela Viseu, importa clarificar e referir o seguinte:

No universo da prestação de serviços na transferência de doentes não urgentes entre unidades hospitalares não só existem corporações de bombeiros a prestar este serviço, tal como outras instituições e empresas privadas.

Da mesma forma que a Administração sempre demonstrou às diversas corporações a sua disponibilidade em resolver os constrangimentos afetos à transferência, também as corporações de bombeiros desde o início de 2018, demonstraram essa mesma disponibilidade na resolução de diversos constrangimentos, nomeadamente os procedimentos, os quais implicam as ativações por parte das unidades hospitalares e as disponibilidades das diversas entidades no universo desta prestação de serviço.

O comunicado refere-se ao procedimento atual. Este procedimento passa pela forma como são ativadas e atribuídas às diversas entidades as respetivas transferências, independentemente da sua origem e destino, não só entre Tondela-Viseu como para outras unidades hospitalares, exigindo as corporações de bombeiros um sistema transparente e justo, que permitisse que essa atribuição cumprisse esses requisitos.

Existiram duas reuniões, sendo a última em início de outubro onde se estruturou uma proposta de alteração aos referidos procedimentos mas também onde se se verificou divergências naquilo que é o entendimento no contexto legislativo para a administração do Centro Hospitalar a que respeita o transporte de doentes não urgentes e o entendimento dos Corpos de Bombeiros, remetendo o Conselho de Administração para a ARS Centro e que fossem as próprias corporações a efetuar esse esclarecimento junto da mesma. A Federação de Bombeiros do Distrito de Viseu em representação das suas federadas solicitou de imediato uma reunião nessa data e obtendo ontem resposta por parte desta com disponibilidade para reunir com esta Federação na próxima quarta feira dia 16 de janeiro, aguardando com expectativa a resolução desta situação.

Assim importa esclarecer, que mesmo não havendo atualmente entendimento ou alterações a procedimentos, daquilo que é clarificação à legislação e ao solicitado pelos Corpos de Bombeiros, estes nunca deixaram até hoje de prestar serviços de transferências ao Centro Hospitalar Tondela Viseu, nem mesmo quando existiam atrasos consideráveis de pagamentos e em elevados montantes.

Não é correto tentar passar a notícia que as corporações de bombeiros são o problema, quando não são a única entidade no sistema e sempre foram um parceiro ativo no sistema.

A Federação encontra-se inclusive interessada e disponível em colaborar no processo de inquérito, porque pretendemos também o esclarecimento dos factos ocorridos, já que bombeiros foram envolvidas numa tentativa clara de serem unicamente o problema de toda a situação ocorrida.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies