ÚLTIMA HORA : 10 militantes do PS Nelas (comissão política e secretariado) demitem-se

A PROPÓSITO DA NOMEAÇÃO DE LUÍS PINHEIRO : O PRESIDENTE DO “CONCELHO DE CANAS DE SENHORIM” A MANDAR EM TUDO NA CÂMARA DE NELAS:

No passado dia 18 de Outubro, o Sr. Dr. Borges da Silva consultou três membros do PS de Nelas sobre a possibilidade de nomear o prof Luís Pinheiro para o “apoiar nas questões da educação”. Na opinião dos presentes, O PROF LUÍS PINHEIRO NÃO REUNIA CONDIÇÕES PARA ASSUMIR QUALQUER CARGO DE RESPONSABILIDADE OU DE CONFIANÇA POLÍTICA NA CÂMARA MUNICIPAL DE NELAS, quer pelas suas posições contra a unidade do concelho de Nelas, quer pela forma antidemocrática e violenta como perseguiu os seus opositores, quer pela posição que teve nas últimas eleições autárquicas contra o programa do Partido Socialista e o seu candidato (Dr. Borges da Silva), entre muitos outros motivos políticos apontados. O Presidente da Câmara Municipal de Nelas, em clara rutura com os que sustentaram a sua candidatura em 2017, acaba por transformar este opositor em seu braço direito e responsável pela execução do seu programa.

Apesar da discordância dos presentes, na manhã seguinte, tomámos conhecimento que Luís Pinheiro tinha sido nomeado “chefe de gabinete” do Presidente da Câmara.
Os dias seguintes não deixaram de ser mais atípicos e fora do comum, mudando continuamente de conteúdo e forma a nomeação, nomeadamente:

– Nomeação para assuntos da área da educação…
– Nomeação como chefe de gabinete…
– Requisição, como técnico para exercer funções de apoio ao Presidente…

Pareceu sempre que quem decidia cada passo era Luís Pinheiro. O Presidente da Câmara teve sempre um papel secundário, não um papel dum líder que deveria ter o controlo das coisas na sua mão como se impunha, perante o seu peso político. Onde esteve a coragem e a determinação que todos lhe reconhecem e que decorrem da sua vitória eleitoral?

APARENTEMENTE NÃO FOI O PRESIDENTE DA CÂMARA QUEM NOMEOU UM CHEFE DE GABINETE, MAS O PRESIDENTE DO MOVIMENTO DE RESTAURAÇÃO DO CONCELHO DE CANAS DE SENHORIM QUE SE AUTO- NOMEOU CHEFE DE GABINETE DE BORGES DA SILVA!…

A DECISÃO DO PRESIDENTE DA CÂMARA E AS REAÇÕES DOS MILITANTES:

O Sr. Presidente da Câmara NUNCA nos pediu qualquer opinião quanto às suas decisões anteriores. Por isso achámos estranho que o Dr. Borges da Silva tenha SIMULADO uma tentativa de nos ouvir. Igualmente, a estrutura local do PS, jamais tomou qualquer posição quanto às escolhas do Presidente da Câmara, porque sempre entendeu que a gestão da Câmara não pode estar refém do Partido.

No entanto, perante a gravidade da decisão e o repúdio manifestado pela generalidade dos militantes, foi convocada uma reunião da Comissão política Concelhia do PS para o dia 22 de Outubro, com o objetivo de discutir, democrática e abertamente, este assunto.

Nesta reunião ficou claro que a responsabilidade da nomeação era do Presidente da Câmara e não do PS. No entanto a opinião dos militantes presentes foi de repúdio unânime pela decisão tomada.

Perante a possibilidade de uma demissão coletiva (que se sentia no ambiente de censura coletiva ao Presidente da Câmara – que estava presente na reunião) e como forma de poder fazer reverter a decisão tomada pelo Sr. Dr. Borges da Silva e a debandada dos elementos da Comissão Política Concelhia, o presidente da concelhia pediu a sua demissão, assumindo a responsabilidade política perante os militantes e fazendo um apelo para que ninguém tomasse qualquer decisão precipitada e permanecesse nesse órgão.

Os sentimentos que temos a propósito do escolhido poderiam turvar uma posição racional. Por isso, e apesar da pessoa em causa, cada um deveria, livremente, tomar uma decisão que ultrapassasse eventuais questões pessoais, pondo as questões políticas acima de tudo.

A QUEBRA DE CONFIANÇA E A LEALDADE AO PROGRAMA ELEITORAL:

A confiança entre os membros da concelhia do PS e o Presidente da Câmara foi quebrada e tal nada teve a ver com nenhuma posição tomada por qualquer militante individual ou coletivamente.
Somos muito pragmáticos e a nossa lealdade manter-se-á firme ao programa votado pelo povo do concelho de Nelas, através do voto, em Outubro de 2017 e, por isso…

ZELAREMOS PELO CUMPRIMENTO DO PROGRAMA DO PS!

A POSIÇÃO DOS MEMBROS DA DIREÇÃO LOCAL DO PS:

Decorrido mais de um mês e após as peripécias entretanto observadas, teve lugar uma última reunião com o Presidente da Câmara, não tendo sido possível conciliar posições. A nomeação de Luís Pinheiro inviabiliza qualquer hipótese de, no futuro, nos sentarmos à mesma mesa para discutirmos abertamente. Como poderemos trocar pontos de vista se não temos confiança entre nós?

Na reunião ficou claro que a decisão do presidente da concelhia era irreversível e definitiva a partir dessa data.

Acompanhando o presidente da concelhia apresentaram a demissão das suas funções na Comissão Política Concelhia e Secretariado mais 10 militantes, ficando ambos os órgãos sem quórum, de imediato. Entre estes, foi mesmo solicitada a desvinculação da qualidade de militante por um deles.

QUEM PODE COMPREENDER O QUE ACONTECEU?

Quais as razões, quais os interesses envolvidos, para o Dr. Borges da Silva romper com todos aqueles que por ele deram o seu empenhamento, o seu trabalho, a sua palavra, o melhor de si, SEM NENHUM INTERESSE MATERIAL por trás? O Presidente da Câmara sabia que uma decisão desta natureza seria fraturante, criaria uma barreira entre si e um número muito significativo (provavelmente a maioria esmagadora) dos seus apoiantes e, entre eles os militantes e simpatizantes do PS.

O Sr. Presidente da Câmara, poderá sempre escolher com que aliados quer percorrer este mandato e concorrer às próximas eleições, mas não nos meta a todos no mesmo saco porque nós, DECIDIDAMENTE, não somos da mesma farinha.

Os militantes demissionários do PS. Nelas, 7 de Janeiro de 2019.

NOTA : foto enviada na nota de imprensa do PS Nelas, para contextualizar as razões da demissão

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies