Hotéis da região burlados por casal de Espanhóis

Grande Hotel da Felgueira e Aqua Village, em Oliveira do Hospital, e Casas do Lupo (Lapa do Lobo), entre as unidades hoteleiras vítimas dos burlões.

O relato da burla nas Casas do Lupo (Lapa do Lobo), chegou à nossa redação pela Coordenadora da Unidade, Joana Martins :

Chegou às Casas do Lupo, na quinta-feira, dia 13 do corrente mês, um casal de espanhóis afim de ficarem alojados com a “desculpa” que estavam nesta zona em trabalho e lhes avariou a carrinha no IC12, tendo esta sido levada para consertar. Depois de pesquisarem na internet por hotéis próximos, acabaram por vir para cá. Não traziam bagagem, dizendo que a mesma ficou na carrinha, junto com a identificação da senhora e tendo ele apresentado o seu cartão de identificação caducado, desde junho deste ano. Dada a “situação”, foram alojados na nossa unidade, até por um preço inferior ao praticado, pois diziam que a empresa não podia pagar mais do que aquele valor e se assim fosse poderiam vir a ficar uma semana, caso contrário ficariam apenas um ou dois dias.

Acabaram por prolongar a estadia até esta sexta-feira, 21 de dezembro. Como já se tratava de um número considerável de noites, na segunda-feira, dia 17, solicitámos o pagamento das noites já passadas e o restante no check-out. O pedido não foi bem aceite, dizendo que “o combinado foi liquidar a conta toda no final da estadia, mas que o poderiam fazer no dia seguinte, quando lhes viessem entregar a carrinha, pois entregar-lhe-iam também o dinheiro para efetuar o pagamento desse valor”. Nessa noite tivemos a confirmação de que se tratava, efetivamente, de um casal de burlões, que fazem deste tipo de crime o seu modo de vida, uma vez que têm vindo a burlar unidades hoteleiras, e não só, já há bastante tempo.

Foi chamada de imediato a GNR que, ao chegar, lhes bateu à porta do quarto, pedindo para se identificarem. Após algum tempo, alguma conversa trocada e telefonemas entre a GNR e algumas entidades para averiguar o seu cadastro criminal, que foi confirmado com um acumular de burlas, acabaram por concluir que nada mais havia a fazer senão deixá-los ir, IMPUNEMENTE, pois não os podiam obrigar a pagar nada, nem multá-los, e muito menos detê-los, mesmo sabendo que eram estrangeiros, sem identificação ou com a mesma caducada. Quanto às Casas do Lupo, acabámos por os expulsar, ainda na presença da GNR, para assim seguiram o seu caminho, e quiça irem burlar outras unidades hoteleiras.

Joana Martins revelou ainda ao nosso jornal que os proprietários das Casas do Lupo irão apresentar queixa às autoridades competentes.