Câmaras Municipais desperdiçam, em média, 30% de água

Uma das razões para as perdas de água é a fraca manutenção das redes. Governo queixa-se da falta de investimento e cria entidades supramunicipais.

O Governo desafia os municípios a investirem nas redes de água para reduzir perdas. Portugal perde em média 30% da água, mas há municípios que chegam a ter perdas de 80%. Esta é uma das conclusões do relatório que vai ser apresentado esta quarta-feira no ministério do Ambiente, no âmbito do PENSAAR 2020, o Plano Estratégico de Abastecimento de Água e Saneamento de Águas Residuais.

Uma das razões para as perdas de água é a falta de manutenção das redes, o que faz com que o Governo se queixe da falta de investimento por parte dos municípios.

O secretário de Estado do Ambiente, Carlos Martins, diz que a taxa de reabilitação das redes está “muito abaixo do desejável”. “O ideal neste tipo de infraestruturas é que a taxa de investimento em reabilitação seja entre 1% a 2% da rede. Por cada 100 quilómetros, devia-se substituir um a dois quilómetros de rede. Ora, o que acontece é que a maioria das entidades gestoras está muito abaixo de 1%, sendo que, em muitas delas, é próximo do zero”, faz notar. Praticamente, “só substituem quando há uma rutura”, o que não é uma boa prática.

O Governo, sublinha Carlos Martins, tem um programa de 40 milhões de euros para esse fim. “É um sinal que esperamos que seja aproveitado por um conjunto de entidades gestoras para começarem a preocupar-se com esta problemática, mas esta é uma verba que não chega para qualquer dos valores que terá que investir um município de natureza urbana da área metropolitana de Lisboa ou do Porto”, sublinha o secretário de Estado.

O valor do investimento, refere, “seria seguramente da ordem dos 140/150 milhões de euros por ano no mínimo, mas o desejável era praticamente duplicar essa verba”.

A falta de investimento leva a que em muitos casos o desperdício de água chegue aos 80%, mas também há bons exemplos, que andam nos 10%. A média das perdas ronda os 30%, o que significa 180 metros cúbicos por ano, ou, dito de outra forma, o equivalente a 10 anos de consumo de água da cidade do Porto. Ao todo, 54 municípios com problemas de gestão da água já manifestaram interesse em aderirem a um programa para otimizar os recursos. Vão ser criadas ao todo nove entidades gestoras intermunicipais com esse fim.

Mas há também indicadores positivos apontados no relatório: 99% da água que os portugueses consomem em casa proveniente da rede é segura.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies