PSD Viseu faz balanço de um ano de mandato do Executivo Camarário

Cumpre-se hoje um ano da tomada de posse do Executivo Municipal liderado pelo PSD para o segundo mandato. Um ano em que se deu sequência ao programa Viseu Primeiro, com o qual o PSD se apresentou a votos em 2013 e com o qual governou durante quatro anos.

Cumpridos cinco anos de governação municipal, a Comissão Política de Secção do PSD faz um balanço extremamente positivo do caminho percorrido até agora. Viseu é hoje uma referência em diversos domínios, constituindo um farol no Interior do país.

Ainda que o Estado Central continue a falhar com o Município e com os viseenses, o Executivo Municipal foi capaz de, ao longo destes cinco anos, imprimir uma trajetória de afirmação, desenvolvimento, criação de emprego e valorização da qualidade de vida.

O investimento sem precedentes efetuado desde 2013, seja no domínio da água e saneamento, da educação, da revitalização do Centro Histórico, da captação de investimento, da coesão territorial, cujo melhor exemplo são as mil obras já efetuadas nas 25 freguesias, não impediu o Executivo Municipal de robustecer as contas da Câmara.

Ao longo destes cinco anos, o saldo de gerência aumentou e o endividamento diminuiu. Só no último ano, as famílias de Viseu viram ser-lhes devolvidos 8 milhões de euros em impostos municipais, pelo Município que mantém a taxa mínima de IMI e atribui descontos às famílias com filhos. Só um Município com contas saudáveis pode apresentar estas performances e só uma oposição do bota-abaixo e mal preparada pode afirmar o contrário.

Apesar de uma conjuntura nacional adversa, com um Governo incapaz de cumprir promessas que assumiu publicamente, o Executivo Municipal soube imprimir uma dinâmica de desenvolvimento imparável, sendo disso exemplo a captação de investimento, com a instalação em Viseu de empresas de referência como a IBM, BizDirect, Critical Software, Altice Labs, Deloitte ou a CUF.

Nos últimos dois anos e meio, fixaram-se em Viseu 250 jovens engenheiros, que encontraram na nossa cidade oportunidades que no passado os obrigavam a ir para os grandes centros urbanos. O desemprego caiu em mais de metade desde 2013.

Foi o mesmo Executivo que teve de se substituir à Administração Central para resolver problemas que se arrastavam há décadas, e realizar as obras na Escola Grão Vasco e na Escola Viriato, que estão em fase de conclusão. Assumimos as responsabilidades de outros, porque estava em causa o bem-estar da comunidade viseense.

De resto, a Educação é um dos pilares da governação deste Executivo, que só este ano representa mais de seis milhões de euros de orçamento municipal.

As políticas imateriais não se aplicaram apenas aos mais jovens. O programa dedicado aos seniores é já um exemplo replicado noutros municípios.

Este último ano ficou também marcado por uma oposição focada em denegrir e desvalorizar os sucessos desta governação, apostando na maledicência e na criação de “fait divers”. Uma oposição pouco preocupada com o bem-estar dos viseenses e sempre em rota de colisão com tudo o que de positivo acontece. Uma oposição incapaz de juntar a sua voz reivindicativa aos anseios de Viseu, como a ligação em autoestrada a Coimbra, a ferrovia, a melhoria da ligação ao Sátão e do antigo IP5 que, na calendarização da Infraestruturas de Portugal, já deviam estar em obra e nem projeto ainda se conhece, já para não falar do estado de abandono a que se encontra votado o nosso Hospital de São Teotónio, sem investimento da Administração Central, sem avançarem as obras das Urgências ou o prometido Centro Oncológico. Uma oposição que na única marca que este Governo virá a ter na reabilitação de oito edifícios no Centro Histórico, no valor de cerca de 4,5 milhões de euros, através do Fundo ImoViriato, teve o voto contra dos vereadores do PS. Em suma, uma oposição sempre em contramão e que não dá conta disso.

Apesar disso, o Executivo soube continuar focado na missão do desenvolvimento do concelho, que culminou recentemente com o reconhecimento traduzido na obtenção de vários prémios, particularmente relevantes. Mesmo que a oposição tente denegrir aquele que foi o reconhecimento dos portugueses, Viseu foi considerada a melhor cidade para viver, a par de Lisboa e Porto.

A Comissão Política de Secção do PSD agradece o trabalho desenvolvido pelo Senhor Presidente da Câmara e sua equipa, exortando-os a continuar este caminho de sucesso e afirmação que a execução do programa Viseu Primeiro consubstancia.

A Comissão Política de Secção do PSD agradece também a todos os Presidentes de Junta e demais eleitos locais, que todos os dias pugnam pelo bem-estar dos viseenses e pelo desenvolvimento do Concelho de Viseu.