Almoço/Tertúlia promovido pelo Centro Notícias no Restaurante “Cristina”

O diretor do Jornal CENTRO NOTÍCIAS, José Miguel Silva, lançou um desafio aos seus cronistas para relatarem o almoço que promoveu no Restaurante Cristina, em Aldeia Formosa, Oliveira do Hospital. Um convívio que é realizado anualmente e que visa juntar em almoço-debate os colaboradores deste órgão de comunicação.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Compareceram no encontro deste ano Artur Ferreira, Joaquim Amaral, Manuel Henriques e Marcelo Costa. António Leal, Diego Garcia, Joana Carvalho Lopes e José Lima, devido a compromissos diversos, não puderam marcar presença.

Um almoço improvável…ou talvez não. O diretor do Centro Noticias desafiou os seus comentadores regulares para um almoço convívio enquanto decorria a Feira do Vinho. Para garantir a independência – e impedir quaisquer alusões conspiratórias – escolheu o concelho vizinho de Oliveira do Hospital.

Um repasto de excelência, como habitual, no muito recomendável Restaurante Cristina, em Aldeia Formosa (Seixo da Beira), com os sabores tradicionais da Beira. Às magníficas entradas beirãs, juntaram-se deleitosos pratos que encantaram os convivas: polvo à lagareiro, bacalhau no forno, espetadas de lulas e picanha. Naturalmente, tudo devidamente acompanhado com os néctares do Dão.

Falou-se de Nelas, do presente e do futuro, do vinho e da vinha, das últimas autárquicas, das próximas, das políticas de descentralização e de muitas outras coisas. Três horas à conversa com Artur Jorge Ferreira, Joaquim Amaral, Marcelo Costa e Manuel Henriques…sob a batuta do Diretor José Silva!

Festa do Vinho

“No passado, o Município de Nelas teve a visão de se posicionar como líder na promoção do Vinho Dão, tornando menos relevantes outras celebrações em grandes concelhos vinhateiros da região. Os fatores de risco para o nosso certame, no futuro, são as tentativas similares entretanto criadas em concelhos vizinhos que pretendem concentrar, também nesta área, o protagonismo, mas também o salto qualitativo que falta dar, e que tarda, na evolução do certame para um maior envolvimento estratégico com os produtores e parceiros, na valorização da vinha e do vinho, do enoturismo. Importa por isso saber posicionar bem a Feira do Vinho, consituir uma comissão organizadora do evento plurisdisciplinar, que a possa promover e valorizar, recentrando-a mais para a “fileira do vinho”, como preocupação primeira.”

Estratégia Económica do Concelho

“Continuar a aposta na industrialização, aproveitando a nossa localização estratégica privilegiada. Reforçar a aposta no turismo, nos produtos endógenos. O Município tem que ir aprender onde se faz melhor, reorganizando o seu produto turístico, em parceria com os privados, que justifiquem aos visitantes mais noites dormidas, experiência diferenciada e mais consumo no concelho. Aqui entra a valorização do Termalismo, dos espaços museológicos, monumentos arqueológicos, reforço do enoturismo, passeios pedestres, entre outros. É preciso colocar a “máquina” da Câmara de Nelas virada para este objetivo em parceria com as empresas. Objetivo para a próxima década: Tornar as Caldas da Felgueira na mais aprazível estância termal da região Centro. Importantíssimo, diríamos decisivo, em termos estratégicos e como preservação única de valorização territorial: recuperar a marca distintiva que nos posiciona numa posição de liderança, a marca de excelência territorial “Coração do Dão”, inexplicavelmente abandonada nos últimos 5 anos, por uma frase insípida de cunho pessoal.”

Habitação Social e Combate à desertificação

“Precisamos de ressuscitar estas políticas, e colocá-las, sem megalomania, ao serviço do combate à desertificação. Os Municípios devem ser aqui um agente de mudança. Adquirir propriedades devolutas/em ruína, promover a sua reabilitação e dar uma oportunidade aos jovens de viver com dignidade na terra dos seus ancestrais.”

Demografia

“Nas próximas duas décadas vamos ter uma redução acentuada da nossa população (tendência geral do país). Temos de olhar para as nossas aldeias e reforçar a mobilidade entre todas as localidades do nosso Concelho. A melhoria do transporte público – onde a Câmara Municipal terá de ter a dianteira – é uma prioridade. Temos de cortar no supérfluo e criar esta sustentabilidade. Uma rede de transportes públicos de pequena dimensão poderá ser o caminho para melhorar a qualidade de vida de uma povoação envelhecida. Quem nada fizer será cúmplice com o definhar das nossas aldeias.”

Quinta da Cale

“Os sucessivos governos continuam a negligenciar e a empobrecer este empreendimento de investigação que podia e devia ter estruturante na nossa Região. O Centro de Estudos Vitivinícolas do Dão tem tudo para ser um pólo de excelência de investigação, pesquisa e desenvolvimento da vinha e do vinho da Região do Dão. Se fosse localizado no concelho de Viseu estaria nesta situação? As vindimas em Nelas não podem, como acontece atualmente, ser decididas em num qualquer serviço desconcentrado em Castelo Branco.”

Autárquicas 2017

“Foi uma campanha muito dura, competitiva, mas em que todos devem tirar ilações. A divisão no espaço do Centro-Direita poderá ter encaminhado os eleitores para José Borges da Silva, mesmo após um tumultuoso mandato.”

Autárquicas 2021

“2021 ainda vem muito longe. Daqui até lá muito vai de certeza acontecer. Desde a construção de novas estruturas políticas locais, ao desejável aparecimento de novos protagonistas, passando pela reorganização das correlações de forças partidárias, são diversas as variáveis em causa. Sem prejuízo dos fatores locais, as legislativas de 2019 serão também um dado relevante para definir o “músculo” das forças políticas. Deve privilegiar-se um projeto que possa ser visto como vencedor. Importante que possam emergir caras novas (e independentes) que cativem o eleitorado mais despolitizado.”

Legislativas 2019

“Cenário muito favorável ao Partido Socialista que soube aproveitar com algum oportunismo a boa governação económica do anterior governo, as cativações do nosso descontentamento, a maior carga fiscal da história no país e muita, mas muita propaganda. O Centro-Direita em processo de ajustamento: CDS a pretender crescer, PSD em tempo de reorganização para se voltar a afirmar como alternativa ao Partido Socialista, como é o seu desígnio. O Projeto “Aliança” parece demasiado “egocêntrico” para ter aceitação.

Descentralização

“A proposta do Governo parece destinada a maquilhar o Orçamento Geral do Estado, aliviando as funções do Estado, do que uma reforma propriamente dita. O consenso à mesa é de entender esta reforma como problemática. Qualquer solução que venha a colocar Professores, Médicos e Enfermeiros, ou outros funcionários da administração central na dependência funcional do Presidente da Câmara Municipal é de rejeitar. Se isto vier a acontecer teremos menos independência e massa crítica nos municípios portugueses (nomeadamente nos mais pequenos).”

Restaurante Cristina

Um almoço delicioso, com sabores tradicionais da beira como bacalhau no forno e polvo à lagareiro. Melhor regado com exclusividade total dos néctares do dão.

A repetir

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies