Bloco de Esquerda : “Centro Interpretativo do Estado Novo” e “Bem Estar Animal” na agenda regional

Amanhá (22 de setembro), haverá uma sessão sobre “Bem Estar Animal”, no Hotel ìbis da Figueira da Foz, a partir das 10h45. O evento contará com as presenças de Jorge Gouveia Monteiro (Ass. Gatos Urbanos), Diego Garcia (Grupo de Trabalho de Direitos dos Animais do BE), Daniele João (GADAFF) e Carla Marques (Concelhia do BE da Figueira da Foz).
Várias têm sido as mobilizações em torno do bem-estar animal. Esta é uma luta política que veio para ficar, mas muito há a fazer para termos verdadeiras cidades amigas dos animais. Desde a lei contra os maus tratos a animais, ao estatuto jurídico ou à lei do não abate, o BE tem estado nesta luta. Esta sessão tem por objetivo refletir sobre as políticas públicas para fomentar o bem-estar e direitos dos animais com as pessoas envolvidas nestes processos. 

Com a representação de elementos da Comissão Coordenadora Distrital de Viseu e do Núcleo de Santa Comba Dão, o Bloco de Esquerda reuniu com o Presidente da Câmara Municipal de Santa Comba Dão, Leonel Gouveia, no dia 17, no edifício da Câmara, procurando inteirar-se e manifestar alguns receios em relação ao projeto existente para a implementação de um Centro Interpretativo do Estado Novo naquela que foi a Escola-Cantina Salazar.

Segundo o que foi transmitido ao Bloco de Esquerda, uma primeira fase, no sentido de se instalar um Centro Interpretativo, passará pela requalificação do edifício da Escola-Cantina e abertura de uma exposição de apresentação do projeto para o mesmo. O Bloco de Esquerda considera que será uma boa altura para renomear o edifício, dando-lhe a dignidade que um projecto interpretativo em democracia deverá ter.

O Bloco aguarda a abertura à discussão do espaço e mantém a posição de que a história não deve ser negada ou esquecida, mantendo-se atento a qualquer tentativa de branquear a ditadura e o ditador que empobreceram e torturaram o povo português, obrigando-o à maior emigração de sempre desde a existência do país.

Um Centro Interpretativo do Estado Novo deverá ser estritamente factual e fiel à história. Inserido, como nos foi transmitido pela Câmara, num roteiro que englobe outros locais como Mortágua e Carregal do Sal, poderá ser um ponto de valorização da região, constituindo um ponto crucial de reflexão sobre a época, ajudando a compreender o presente e a construir um futuro sem fascismo.

Este processo continuará a ser acompanhado de perto pelos órgãos locais do Bloco de Esquerda.

P´la Comissão Coordenadora Distrital do Bloco de Esquerda,

Carolina Gomes

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies