“Necessitamos de serviços públicos de qualidade”

O edil de Nelas falava na sessão solene de abertura da 27ª Feira do Vinho do Dão

Borges da Silva reclama do governo “serviços públicos de qualidade para o concelho”, elencando “três áreas prioritárias : saúde, segurança e acessibilidades (rodoviárias e ferroviárias)”. O autarca aproveitou a presença da secretária de Estado do Turismo, Ana Mendes Godinho, para enfatizar que é nessas áreas que é preciso “investir” para tornar o território “mais atrativo, apesar de haver sinais claros de desenvolvimento noutras áreas como é o caso do turismo”. Lembramos que em pleno período que antecedeu o certame de vinhos, o concelho Nelas foi assolado por diversos problemas, que afetaram a qualidade do ambiente, a saúde pública e a segurança, implicando um clima de queda na qualidade de vida da população, que vai temendo pelo futuro : insegurança, grandes falhas na unidade de saúde local, falta de recolha de lixo, entre outros serviços públicos que revelam grandes lacunas. 

This slideshow requires JavaScript.

Arlindo Cunha, presidente da CVR do Dão, fez saber, na abertura do evento, que a instituição que lidera está a levar a cabo um grande estudo sobre as castas da região. “As consequências das alterações climáticas, impõe que estudemos cada vez melhor os solos e as castas”, explicou. O também produtor lembrou que esta colheita de 2018 “vai ser muito difícil em termos de quantidade – estimamos entre 20% a 25% de queda na produção”. “Está em curso a elaboração de um documento estratégico para região, num horizonte temporal de 10 anos”, anunciou, avançando também que será editado “um livro comemorativo dos 110 anos da região”. A obra tem a chancela do jornalista Amadeu Araújo e a sua apresentação será associada a um grande evento com a região demarcada de vinhos verdes, agendado para 18 de setembro, no Solar do Dão e Palácio da Bolsa, no Porto. Lembramos que a região do Dão foi a primeira a ser demarcada, para vinhos não licorosos, seguindo-se, com apenas algumas horas de diferença, a dos vinhos verdes.

Feira do Vinho do Dão com 46 produtores registou um balanço positivo. Confraria dos enófilos entroniza Valente de Oliveira

A maioria do produtores e visitantes de mais uma edição do grande certame dedicado aos nobres vinhos do Dão, fala de um impacto positivo. Pudemos constatar isto mesmo durante o evento. Deixamos contudo algumas notas, que o economista e bancário Pedro Brito, que já temos encontrado em muitos outros eventos deste género, nos refere : “tive alguma deceção com a edição deste ano, dado que não vi “show cooking´s” e alguns stands só abriram depois das 17h”. “Presenciei algumas pessoas que vindo de fora, ficaram surpreendidas com a situação”, afirma, observando a falta de alguns produtores importantes da região, como Quinta da Reis e as quintas de Álvaro de Castro.

Um nota final para mais dois destaques da 27ª Feira do Vinho do Dão : a entronização como Confrade do Dão, do antigo Ministro do Planeamento, Valente de Oliveira, e a entrega simbólica de um carvalho a todos os produtores que viram as suas vinhas afetadas pelos incêndios de Outubro de 2017 (levantamento efetuado pelo autarquia de Nelas).

This slideshow requires JavaScript.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies