Impacto Psicológico na Tragédia Tailandesa

No dia 23 de Junho, na Tailândia, 12 jovens do sexo masculino e o seu treinador de futebol, deslocaram-se a uma gruta a fim de a explorarem, ficando retidos no interior da mesma.

Esta situação foi rapidamente noticiada em orgãos de comunicação por todo o mundo.

Com o esforço conjunto de diversos mergulhadores profissionais de diferentes países, foi possível iniciar as operações de resgate no dia 7 de Julho (14 dias após o terrível acidente).

Após os jovens e o seu treinador terem sido retirados do interior da gruta,  importa refletir sobre as possíveis consequências psicológicas que tal acontecimento provocou nas vítimas.

Como o leitor certamente compreenderá, este acontecimento constituiu-se como algo completamente atípico e por isso poderá acarretar maior probabilidade de ser considerado, pelas vítimas, como um evento traumático.

Estar fechado num ambiente de elevada escuridão com raro contacto com o mundo exterior (apenas com as equipas de busca e salvamento), durante um período tão extenso, pode adensar o efeito do trauma sofrido. Em consequência, podem surgir patologias várias, nomeadamente a sintomatologia depressiva, stress pós-traumático ou outras desordens de cariz afetivo e emocional.

Neste sentido, o papel da equipa de Psicólogos do INEM poderá vir a constituir-se como uma ferramenta imprescindível para o apoio ao nível das competências e regulação emocional de todas as 13 vítimas, bem como das suas famílias.

É, desta forma, fulcral desenvolver uma atuação imediata e bem definida por parte destes técnicos, de modo a minimizar o impacto do acontecimento no dia-a-dia das vítimas, procurando, assim, promover formas adaptativas de enfrentar os receios futuros que poderão advir.

Dr. Marcelo Costa

Psicólogo Clínico

marcelocosta10@live.com.pt

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies