A epopeia de Rui Daniel. LESOTO : Viagem desde a Cidade do Cabo a Bloemfontein

E eis que realizo finalmente uma viagem com pés e cabeça em direção ao Lesoto. 😂
Na Cidade do Cabo apanhei um autocarro em direção a Bloemfontein.
O início foi bastante calmo. Numa das paragens o corredor estava todo molhado. Enfim, este pessoal deixa as latas no chão e depois acontece isto, mas na verdade aquilo não era qualquer tipo de bebida. Quando entrei no autocarro para seguirmos viagem estava o condutor aos berros com um fulano porque este decidiu urinar em plena viagem no autocarro. 😂
Isto só visto. É que não foi uma criança que até poderia sofrer de enurese noturna! Foi mesmo um adulto. 😂😂
Ou seja, estamos perante um fulano que se desenrasca em qualquer situação, sem qualquer tipo de preconceito. O Mac Gyver em carne e osso. 😂😂
Na minha opinião acho que o tipo teve a atitude mais correta. Se está à rasca e o autocarro não pára, olha … porque não? 😂
Adiante… o menos prazeroso e o que não achei lá muita piada foi o condutor ter parado no meio do nada dizendo-me que já tinha chegado ao meu destino. Isto às 6 da manhã quando ainda estava escuro. Era o único passageiro que iria sair ali já que toda a gente seguia caminho para Johannesburgo. Lá lhe dei a volta e pedi para me deixar pelo menos numa estação de serviço e assim foi. Num país onde o crime está num patamar alcantilado não era lá muito aconselhável ficar no meio de nenhures àquela hora. Contudo correu tudo bem. Consegui chegar à cidade e dai apanhei uma outra carrinha até ao Lesoto.

This slideshow requires JavaScript.

Quando quero fazer trilhos sem um guia para não gastar dinheiro acontece sempre o mesmo, perco-me e fico meio desorientado 😂
O objetivo deste trilho era ver a cascata de Maletsunyane que fica a cerca de duas horas de Semonkong. Apesar da venustidade com que era galardoado pelas montanhas à minha volta, não havia propriamente um trilho sinalizado. Perguntava aos locais com quem me cruzava e alguns respondiam-me apenas com um sorriso. Apesar de tudo, havia sempre alguém que entendia um pouco de inglês e lá me apontavam o caminho. Desde atravessar alguns riachos a algumas subidas mais íngremes, valeu bem a pena me ter perdido por várias vezes. Quando dava conta estava numa tacanha aldeia onde as crianças vinham logo a correr só para me cumprimentar.
Passadas duas horas encontro-me num dos lugares mais bonitos onde já alguma vez estive. A cascata rodeada por montanhas escarpadas, e ao longe, neve no cume das montanhas.
Após esta romaria até à cascata, não me apetecia nada voltar a fazer o mesmo caminho de volta e tornar-me a perder. Ainda por cima já tinha pouca água e comida nem vê-la.
Como estavam lá uns fulanos com um carro perguntei se me davam boleia. A primeira resposta foi logo um “Não”.
Estou tramado pensei cá para mim. É meio dia, não tenho comida e vou ter que tornar a subir e a descer colinas e perder-me novamente.
Lá tive que fazer um choradinho a dizer que tinha pouca água e bastante fome e mais algumas tretas a gabar o povo do Lesoto….”Et Voilá”😊..lá me deram boleia até Semonkong.
O truque é ser-se chato e chato e mais chato. É simplesmente usar esta palavra com bastante convicção. 😂