Nesta nova ementa, Diogo Rocha inicia a degustação com as notas de prova da principal casta Tinta do Dão, a Touriga Nacional. “Sendo a Quinta de Lemos uma adega que aposta em monocastas e em especial nos vinhos tintos, a casta escolhida para esta “brincadeira” foi a Touriga Nacional. Através de diferentes sensações – sejam elas tácteis, olfativas ou gustativas – iremos sempre regressar a ela”, afirma Diogo Rocha, chefe do Mesa de Lemos desde 2013.

Mantêm-se o ovo que inicia sempre a refeição, que irá dividir o protagonismo com uma maionese de azeite galega de produção própria. Os produtos e a identidade de características sazonais, regionais e nacionais continuarão a ter grande destaque. Um menu que também nos apresenta pratos menos convencionais, como o “peixe da costa portuguesa com avelã de Viseu” ou “o cabrito das nossas Serras a que juntaremos pepino da nossa horta”.

Alguns dos pratos têm propositadamente um aspeto monocromático e simplista, em harmonia com o edifício do Mesa de Lemos. Na ligação à região do Dão, e em particular a Viseu, mantêm-se as leguminosas do mercado de Viseu e juntam-se as farturas da Feira de São Mateus. Uma das sobremesas presta homenagem ao Museu do Quartzo, que cedeu temporariamente uma exposição que ainda se pode ver no restaurante.

Mantêm-se os três menus, compostos por três, cinco ou sete pratos (com preços de 40,00 euros, 80,00 euros e 120,00 euros), com a possibilidade de ter o suplemento de vinhos (por 15,00 euros, 25,00 euros e 40,00 euros), e opção à carta.

Fonte : Sapo Lifestyle