Faltam pelo menos 63 enfermeiros no Centro Hospitalar Tondela-Viseu

Meia centena de enfermeiros do Centro Hospitalar Tondela-Viseu e algumas dezenas de cidadãos manifestaram-se hoje à porta do Hospital de Viseu e reclamaram a contratação imediata de mais profissionais, sob ameaça dos serviços colapsarem.

“Tendo em conta as carências que já se vêm sentindo nesta instituição e que, a partir de 1 de julho, os enfermeiros com contrato individual de trabalho passarão das 40 para as 35 horas semanais, era necessário mais uma centena destes profissionais”, disse à agência Lusa Alfredo Gomes, do Sindicato dos Enfermeiros de Portugal.

Segundo o sindicalista, no Centro Hospitalar Tondela-Viseu mais de metade dos 855 enfermeiros vão passar a fazer 35 horas semanais a partir do início do próximo mês.

Neste momento, acrescentou, “só para a passagem destes enfermeiros das 40 para as 35 horas semanais era já urgentíssimo a contratação de mais de 63 enfermeiros”.

“Ou contratam os enfermeiros necessários para cobrir estas horas ou então não sabemos qual a situação: encerrar serviços, que esperemos que não aconteça, mas se não houver meios alguma solução destas será tomada”, adverte Alfredo Gomes.

O sindicalista alerta ainda que já existem serviços “abaixo dos mínimos” recomendáveis e que não podem reduzir mais o número de enfermeiros por turno: “Só fechando”.

“Como estão as coisas neste momento, os cuidados de saúde que se prestam aos doentes não têm a qualidade que se exige. Nós próprios o admitimos, porque num serviço onde são necessários cinco enfermeiros no turno e só estão três não é possível prestar os cuidados que os doentes merecem”, sublinhou.

Alfredo Gomes adiantou também que o anúncio do conselho de administração do Centro Hospitalar Tondela-Viseu para a contratação de 20 enfermeiros ainda não recebeu despacho favorável da tutela, que é o “grande entrave”.

Lusa

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies