Viseu. Vereadores do PS propõem regresso da Feira do Livro

Reunião de Câmara Pública, 30-05-2018

PROPOSTA :

“O REGRESSO DA FEIRA DO LIVRO DE VISEU”

Um pouco por todo o país, as Feiras do Livro são dos eventos mais significativos da vida cultural das cidades. Inserem-se nos domínios da promoção do livro e da leitura, do diálogo entre autores e diversos públicos, conjugando os sectores editorial e livreiro numa intervenção de carácter educativo e de entretenimento.

Em Viseu, a “Feira do Livro” não se realiza há 4 anos.

Consideramos que chegou o momento de voltar a colocar em cima da mesa o seu regresso, reconhecendo a sua importância e o estatuto de interesse público e cultural.

Especificação

O local por excelência para a realização deste evento deve ser o Parque Aquilino Ribeiro, como acontecia anteriormente. O nome deste Parque é particularmente feliz. Leva-nos até a afirmar que esta pode ser também uma oportunidade para celebrar a escrita, os autores, a nossa relação com o livro e o nosso património literário.

Relembramos que, há uns anos, uma força política propôs a criação de um roteiro de escritores que têm ligação a Viseu. Uma boa ideia que pode agora ser potenciada e mesmo concretizada através deste evento, usando as referências de um conjunto largo de nomes que é possível encontrar pelo concelho, tais como o referido Aquilino Ribeiro, António de Albuquerque, Camilo Castelo Branco, Emídio Navarro, José Branquinho, Samuel Maia, Tomás Ribeiro. De facto, sendo um projecto de natureza cultural, a Feira do Livro deve ter, por isso, outras valências, e neste caso, “convidando” os viseenses a “viajar” pelo Parque, e ao mesmo tempo, pela história e pelas histórias dos “nossos” escritores.

Um dos principais objectivos da Feira do Livro deve ser também o fomento dos hábitos de leitura, e em especial com grande enfoque nos mais jovens. Desta forma, as datas da Feira devem ser preferencialmente ajustadas ao calendário escolar, não coincidindo com o período de férias e permitindo a participação de grupos escolares nas actividades.

Esta dimensão pedagógica, envolvendo as escolas do concelho, exige que se tenha um conjunto de actividades interessantes que façam com que a Feira seja um espaço animado e concorrido, ou seja, uma programação alternativa / paralela: momentos de cinema, teatro e poesia, espaços para doação de livros, espaços dedicados às crianças com um programa educativo, exposições e workshops, lançamento e apresentação de livros, sessões de autógrafos, concursos, votações e prémios para livreiros e alfabarristas, debates e conferências. No fundo, proporcionar experiências, relacionando várias formas de expressão artística com a literatura.

A interação com os livreiros, editoras, alfabarristas, e inclusivamente, a Rede de Bibliotecas de Viseu assume-se crucial para o sucesso deste evento. Nesse sentido, e porque consideramos que esse sucesso depende do seu carácter abrangente e plural e também da definição de princípios e regras relativas à organização e funcionamento, nomeadamente a fixação dos direitos e obrigações dos agentes intervenientes, recomendamos ainda a criação de um regulamento próprio sobre a matéria.

 

Conclusão

Propõe-se que a Câmara Municipal de Viseu delibere aprovar, ao abrigo das competências que lhe são conferidas, o regresso da “Feira do Livro” ainda neste mandato autárquico, concretizando e potenciando ideias e princípios aqui elencados e vincados, reconhecendo a importância e o estatuto de interesse público e cultural do evento, e agindo naturalmente enquanto entidade promotora e parceiro institucional.

Viseu, 22 de Maio de 2018

Os Vereadores do PS

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies