Viseu. Autarquia entrega mais 60 mil euros ao “Cantinho dos Animais”

Município reforça o compromisso de proteção dos animais com dois protocolos com a associação

O Presidente da Câmara de Viseu e o Vereador João Paulo Gouveia foram recebidos por cães a ladrar no Cantinho dos Animais. Depois da visita, debaixo de Chuva, assinaram com o um Protocolo no valor de 60 mil euros.  Almeida Henriques salientou que a proteção dos animais sempre foi uma das suas preocupações e a continuidade de uma política que vá ao encontro desta estratégia de proteção.

No Município tem aumentado o número de animais capturados e recolhidos, assim como o aumento das queixas e pedidos aos Serviços Municipais. Note-se que em 2015 foram entregues pelos Serviços 550 animais ao ‘Cantinho’, 700 em 2016 e no ano passado o número aumentou para 750. Nestes valores não estão contabilizados os que são entregues diretamente ou perto do “Cantinho”.

“Perante estes dados não podemos ignorar os números, além da proteção dos animais que valorizo não recolher e capturar estes animais seria um perigo para a saúde pública e segurança dos nossos concidadãos e dos seus animais.”

Também por seu lado o Vereador João Paulo Gouveia reconhece o trabalho importante que tem sido feito por parte da associação do Cantinho dos Animais Abandonados. Assim o Município firma com esta associação um protocolo de acolhimento dos animais abandonados recolhidos pelos serviços municipais na área do Município na via pública, até ao limite de 800 vivos. A juntar ao 60 mil, a pagar em quatro tranches de 15 mil euros, euros entregues este ano, fica acordado que em 2019 chegarão 70 mil euros. Neste acordo volta a ser da responsabilidade do Município o encaminhamento de cadáveres.

Almeida Henriques reassumiu o princípio de que o Município “Quer continuar a ser um município amigo dos animais, aproveitando uma instituição da sociedade civil que faz um trabalho que toda a gente conhece, no ‘Cantinho’ nunca se abateram animais, há uma política muito ativa de adoção”.

No mesmo dia ficou ainda protocolada a colaboração para o método CED (Capturar- Esterilizar- Devolver) atuando essencialmente em colónias de gatos do Concelho. O protocolo, que já dura há quatro anos, é renovado e mais de quatro mil euros, tendo em conta a média de 120 animais intervencionados.

Este protocolo requer o envolvimento da sociedade pois terá que haver a que pessoas, devidamente identificadas, fiquem responsáveis pelos animais, comprometendo-se durante todo o ano (férias inclusive), não só em relação à alimentação, mas também quanto à limpeza dos espaços onde eles se encontram e que são de todos, pelos cuidados sanitários que necessitam e pelos danos que possam causar. Só assim se pode devolver aos espaços públicos os animais intervencionados, que são desparasitados e ficam identificados eletronicamente

O Presidente da Câmara reassegurou que “há tarefas das quais o município não abrirá mão. Não abdicamos do veterinário municipal, da recolha de animais na via pública, da quarentena para os animais recolhidos”.

Voltou ainda falar no tema da política intermunicipal de adoção e da necessidade de contagiar os conselhos vizinhos com estas boas práticas, lembrando que há municípios que “dificilmente conseguirão suportar os custos das centenas de animais resgatados, e do cumprimento da lei de não abate, se não houver uma política de promoção da adoção. No ‘Cantinho’ os animais são adotados por pessoas do mundo inteiro”.

Ana Vaz Pereira, que quis assinar o protocolo ao ar livre para que os animais fossem testemunhas, concordou e acrescentou a adoção responsável que ali é feita.

*Fotografias de Rui da Cruz

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies