Associação Portuguesa de Doentes com Fibromialgia promoveu primeiro encontro em Viseu

No passado dia 5 Outubro, realizou-se no Parque do Fontelo (Viseu), o primeiro encontro da Associação Portuguesa de Doentes com Fibromialgia, organizado pelo delegado distrital de Viseu Miguel Santos e com a orientação da fundadora da A.P.D.F Dra Fernanda Margarida Neves de Sá.

Este encontro contou com uma boa adesão de doentes onde houve uma palestra,respostas ás duvidas dos doentes sobre o vazio clínico a que estão sujeitos os doentes fibromiálgicos, doença ainda desacreditada como tal em grande parte do país, embora a exitência da Norma da DGS ,uma sessão de exercicios e relaxamento e lanche convivio,com a promessa de novos eventos. Quem Somos Doentes, médicos, familiares e amigos dispostos a contribuir para a informação, sensibilização e dinamização da Fibromialgia no nosso país, de modo a contribuir para uma melhor qualidade de vida dos doentes. Nascemos, como comissão instaladora no dia 5 de Março de 2002, em reunião com cerca de sessenta pessoas, no Hotel Meridian – Porto. Foi lavrada Escritura Pública em 10 de Maio de 2002, reconhecida em Diário da República em 26 de julho do mesmo ano. OBJECTIVOS: 1 – Apoiar os doentes e seus familiares; 2 – Promover os seus direitos; 3 – Facultar-lhes auxílio moral, material e técnico; 4 – Sensibilizar a Opinião Pública e os Poderes Públicos para os problemas desta doença no dia a dia; 5 – Criar os equipamentos próprios para a realização de actividades socialmente úteis aos seus Associados; 6 – Proporcionar o apoio técnico necessário aos seus Associados, quer no plano físico como psíquico e social; 7 – Desenvolver iniciativas junto das entidades competentes, a fim de serem criados, quadros de excepção para doentes afectados, designadamente nas áreas laboral, de segurança social e assistência social; 8 – Cooperar com a administração, no sentido do estabelecimento de programas de assistência aos doentes: 9 – Promover campanhas de informação junto da comunidade para informar e esclarecer os doentes e suas famílias, das características da doença e forma de tratamento; 10 – Fomentar o estudo da doença sob o ponto de vista da investigação e de terapêutica.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies