Autarca e candidato em Senhorim acusa Borges da Silva de iniciar obra do cemitério “como começar uma casa pelo telhado”

Fernando Francisco, atual tesoureiro e candidato pelo PSD à presidência da Junta de Freguesia de Senhorim, enviou-nos uma nota, complementada com imagens, em que denuncia que o edil de Nelas “começou mais uma obra apenas com finalidade eleitoralista, porque muitos de nós sabemos que faltará o melhor para a terminar” :

“Senhor Presidente da Câmara, como é possível o senhor dar o início à construção do alargamento do cemitério de Senhorim, precisamente ao contrário do que tinha sido combinado? Então não foi acordado que teríamos de fazer um muro de suporte com pedras de grande porte (matacões), que se iriam buscar a pedreira desativada a S. João do Monte? Então por onde vão agora passar os camiões com essas pedras? Então por onde vão entrar e andar os camiões com o aterro para subir o terreno ao nível desejado? Como é que se vai colocar o gradeamento (idêntico ao que está na parte velha) no muro que mandou fazer à frente com 2,50 de altura? Eu bem sei Senhor Presidente da Câmara que a altura é de caça aos votos, mas haja bom senso e que não se brinque com as gentes de Senhorim, porque todos nós sabemos (os mais atentos) que esta é mais uma obra que foi começada apenas com essa finalidade porque muitos de nós sabemos que faltará o melhor para a terminar. E certamente as pessoas das terras de Senhorim não se iram deixar levar na cantiga!
Senhor Presidente da Câmara todos nós queremos e agradecemos que sejam feitas obras na freguesia de Senhorim mas o que nasce torno, tarde ou nunca se endireita e esta obra é esse o caso, porque não foi iniciada com cabeça, tronco e membros, foi começada única e exclusivamente a pensar na caça aos votos no dia 1 de outubro”.

O nosso jornal já solicitou, via e mail, uma tomada de posição ao presidente da Câmara Municipal de Nelas.