“Cumprimos e merecemos mais quatro anos”

PS apresenta candidatos às Autárquicas com festa comício. Canenses Aires dos Santos e Mafalda Lopes, são os 4º e 5ª da lista à Câmara Municipal

Borges da Silva quer”ganhar em todas as autarquias do concelho de Nelas, subindo o número de vereadores e promete baixar o IMI depois de ter calibrado as contas do Municipio. Com elogios à equipa que liderou, incluindo aos ausentes, garante que “este não é o projecto de uma equipa mas de um concelho” e promete fazer uma campanha positiva mas não deixará sem respostas os ataques soezes. Com um balanço para mostrar obra feita e contas em dia, apresenta candidatos em todas as freguesias e as melhorias no ambiente como bandeiras eleitorais.

Numa tarde tórrida foram muitos os que se deslocaram à Escola Secundária da Nelas para uma festa comicio. À espera havia água e cerveja, bifanas e bandeiras, insuflaveis e um balanço preciso do que foram estes últimos 4 anos.

Frederico Garcia, da concelhia da JS de Nelas, deu o mote: “cumprimos o prometido mas vemos hoje novas promessas dos que nos abandonaram”. A deixa seria aproveitada por Jorge Branquinho, cooordenador do programa socialista, que prometeu uma “campanha positiva mas capaz de se defender da calúnia. Apesar dos ataques cumprimos, temos obra, emprego criado e divida reduzida”. Mas, avisou, “não somos ingénuos e estamos preparados para o combate. E não duvidem o Partido Socialista está aqui e vai à luta”.

António Borges, que encabeça de novo a lista à Assembleia Municipal, sublinhou que “Borges da Silva resistiu à deslealdade dos seus pares numa câmara que deixou de ter vereadores e apenas teve um presidente e uma vice-presidente contra 5 opositores. Chumbaram as estações de tratamento de águas residuais, a reabilitação urbana , as contas e o reforço de verbas para a limpeza de matos só para impedir Borges da Silva de fazer obra”. António Borges, o presidente da distrital do PS que comparou o actual presidente a José Correia, alertou que os socialistas “não querem politica barata ou politiquice. As pessoas não gostam e nós temos orgulho no saneamento financeiro, na redução dos passivos ambientais, no emprego criado”.

Presente esteve também Eurico Brilhante Dias, secretário nacional socialista e que esta semana tomou posse como secretário de Estado, que lembrou que “no PS somos todos necessários mas só há um PS e esse está com Borges da Silva”. Aguerrido o dirigente avisou que os socialistas “não alimentam agendas pessoais, estamos para servir as pessoas e nós não podíamos ter outro candidato. É preciso votar PS e mostrar união para não defraudar este povo e voltar a entregar a câmara ao PSD”.

“Tudo o que fizemos foi em nome e pelo povo”

Galvanizado pelos elogios Borges da Silva asseverou ter “uma grande equipa para trabalhar para o povo. Tudo o que fizemos foi em nome e pelo povo e vejo aqui as pessoas de todas as freguesias. Temos orgulho no trabalho feito, cumprimos o que prometemos”. Depois de agradecer aos funcionários municipais lembrou ainda “os que estiveram, a quem estou agradecido como Alexandre Borges” e vincou os apoios ao associativismo “concedidos com transparência e sem que os dirigentes precisem de lamber as botas ao presidente”. E afiançou “respeitar os que não estão mas os que cá estão merecem mais o meu respeito porque estão decididos a ganhar as eleições”. Brincando com as estações de tratamento, “9 milhões de euros de investimento no ambiente quando todos diziam não ser possível”, chamou os candidatos a presidentes de Junta. Paulo Abrantes, em Vilar Seco; António Costa, na Lapa do Lobo; Carlos Loureiro em Senhorim; Carlos Moreira em Carvalhal Redondo e Aguieira; Jorge Abreu, em Santar Moreira; José Lima em Canas de Senhorim e João Miguel Neves em Nelas. E prometeu “aproveitar a alteração legislativa para restaurar as freguesias extintas, decisão do Parlamento que Isaura Pedro, candidata do PSD, votou contra”.

Ganhar em todas as autarquias do concelho

Na Câmara Municipal e depois de Borges da Silva seguem-se Sofia Relvas, Fernando Sivério, Aires dos Santos, Mafalda Lopes e António Rui. Objectivo “trabalhar para ganhar em todas as freguesias porque cumprimos e enerva muito os senhores vereadores que me chamam de mentiroso mas os resultados são incontestáveis e nada melhor para esconder a verdade que chamar mentiroso ao mensageiro”.

Com a contabilidade municipal “em ordem” o candidato socialista, que garante “não se esconder”, promete baixar o IMI em 2018 mas avisou: “o presidente lidera uma equipa e o concelho tem que ter liderança e com esta equipa somos imbativeis mas é preciso que saibam que este não é o projecto do Borges da Silva, é o projecto de uma comunidade. Podemos fazer um mandato histórico, temos capacidade de endividamento e podemos aproveitar os fundos comunitários e o Governo do PS para por Nelas no Mapa. Não metam outra vez a raposa no galinheiro porque nós prometemos e cumprimos, merecemos mais 4 anos”, concluiu.

Amadeu Araújo