AZU reafirma situação de “calamidade ambiental” na região

A AZU- Associação Ambientalista, ao longo dos anos, vem Lutando para que o passivo ambiental, existente na região seja alterado, no sentido de um ambiental mais sustentável.

Das diversas iniciativas, realça-se a “Conferencia sobre a Água”, realizada em Santa Comba Dão em 2007, da qual saíram importantes contributos, enviados às entidades locais e nacionais, nos quais já eram identificados todos os problemas ainda existentes, relativamente à falta de tratamento de Águas Residuais no Distrito de Viseu

Em 2014 e tendo em conta as eleições autárquicas, nas quais foram eleitos novos autarcas, realizamos uma “Conferencia sobre as ETAR”, em Nelas, onde com a presença do vários autarcas, esta questão foi o tema central, tendo existido por parte destes o compromisso  na resolução da situação das ETAR, em franco estado de degradação.  Reunimos também com a maioria dos autarcas da região, com o intuito de fazer o levantamento do tratamento dos esgostos/ETAR, ficando mais uma vez estes pelas suas declarações empenhados em resolver o assunto, que era bastante grave.

Dando continuidade a esse trabalho que para a AZU é preocupante tendo em conta não só a bacia do Mondego/Barragem de Aguieira, bem como todo impacto que esta situação tem nos diversos factores económicos, nomeadamente nas praias junto às diversas Termas, à agricultura, fauna e Flora, reuniu a AZU  no dia 15 de Maio ,desta vez com as Camaras Municipais de Carregal do Sal e Santa Comba Dão, para que em fim de mandato dos autarcas, fosse analisado quais  os projectos e candidaturas em curso para a resolução da grave situação ambiental em que estes dois concelhos se continuam  a encontrar .

Para estas reuniões, a AZU, convidou o presidente da Comissão Parlamentar do Ambiente, Pedro Soares.

Encontrámos pouco mais de que projectos, que a não ser serem acompanhados pelo poder central, com caracter de urgência, continuarão a dar aso a um enorme crime ambiental. Corroboramos da necessidade enunciada pelo Presidente da Comissão Parlamentar do Ambiente, Pedro Soares,” defendendo a necessidade de a União Europeia e o Governo português colocarem no terreno um programa de emergência intermédio, “para resolver estas situações de enorme gravidade”.

Em face da situação, propôs – se aos autarcas, que fossem tomadas algumas medidas de minimização, tendo em vista que não podem continuar as descargas a céu aberto para o meu hídrico.

A situação das ETAR, tem sido desvalorizada pela APA e ERSAR, o que lamentamos, face a este GRAVE problema de falta do cumprimento das leis comunitárias no respeitante à poluição dos recursos hídricos.

Hoje, no dia da visita do Ministro do Ambiente ao Concelho do Carregal do Sal, um dos concelhos do distrito afectados por esta situação, entende a AZU que:

Quer os autarcas quer o Governo, devem tomar iniciativa face a esta de situação de CALAMIDADE, pondo de imediato mãos à Obra!

Defendemos a existência de um Plano Global do Governo para a resolução das ETAR no Distrito de Viseu.

Defendemos que até à conclusão da construção das ETAR deve ser estabelecido com urgência um Plano que minimize os efeitos poluentes.

O Ambiente Agradece autarcas  e governo de Coragem que acabem com esta situação.

17 de Julho de 2017