Matos pegam fogo na reunião de Câmara de Nelas

A reunião do executivo municipal de Nelas voltou a ser tensa, desta feita devido aos matos e ao perigo de incêndio.

A maioria dos vereadores chumbou a proposta apresentada pelo presidente de Câmara para “aumentar a limpeza de terrenos junto a habitações, zonas industriais e florestais” que Borges da Silva sublinhou ser um pedido “realizado em reunião dos agentes de protecção civil do concelho”.

A proposta que mereceu o voto favorável de Borges da Silva e Sofia Relvas, viria a ser chumbada pelos vereadores Manuel Marques, Rita Neves, Adelino Amaral e Alexandre Borges.

Borges da Silva requeria um reforço de 35 mil euros mas os vereadores que votaram contra consideraram que a verba “se destina a pagar trabalhos já efectuados”, explicou Rita Neves. Borges da Silva contrapôs com a necessidade de “limpeza de ramadas abandonadas pelos madeireiros, o aluguer de outra bulldozer  e a contratação de empresas externas para reforçar as equipas camarárias”.

Argumentos que não convenceram os vereadores porque, explica a vereadora do PSD, “são obrigações dos proprietários dos terrenos e se a Câmara fizer esses trabalhos devem imputar os custos aos proprietários”.

Já o vereador Alexandre Borges, que verteu uma declaração de voto para a acta, lembrou que “no Verão são proibidas as operações com máquinas de combustão nas florestas”.

Borges da Silva assegura que “os serviços de limpeza e prevenção já estão a ser prestados” mas lamenta que o reforço de meios e a solidariedade distrital sirvam à oposição para “uma política de terra queimada com violação clara dos deveres dos autarcas e do contrato de confiança que os eleitores depositam nos seus eleitos” e promete “impugnar judicialmente tão irresponsável e vergonhosa decisão”.

Amadeu Araújo

Sobre este assunto, o edil de Nelas, Borges da Silva e o Vereador do CDS, Manuel Marques, fizeram chegar à nossa redação as seguintes informações :

Nota de Imprensa do Presidente da CM de Nelas :

INACREDITÁVEL ! VERGONHOSO!

Vereadores Manuel Marques ( CDS), Artur Ferreira e Rita Neves (PSD) e Adelino Amaral e Alexandre Borges CHUMBAM AUMENTO DE VERBAS PARA PREVENÇÃO DE INCÊNDIOS E LIMPEZA DE TERRENOS JUNTO A HABITAÇÕES, ZONAS INDUSTRIAIS E FLORESTAS PROPOSTA EM REUNIÃO DOS AGENTES DA PROTEÇÃO CIVIL E DECIDIDA COM CARÁTER DE URGÊNCIA EM JUNHO PELO PRESIDENTE DA CÂMARA .

Foi esta quarta feira 12 de Julho na reunião ordinária de Câmara que uma decisão do Presidente de reforçar em 35.000€ as ações de prevenção de incêndios e limpeza de zonas urbanas , caminhos agrícolas e florestais, bermas das estradas  e envolvente das zonas industriais , limpeza de ramadas abandonadas pelos madeireiros, o aluguer de outra Buldozzer  e a contratação de empresas externas para reforçar as equipas camarárias  foi reprovada e não ratificada pelos vereadores Marques, Rita, Artur, Adelino e Alexandre.

A decisão do Presidente  em avançar imediatamente em Junho passado com este reforço de meios para a prevenção dos incêndios resultou do sugerido e aprovado numa reunião realizada na Câmara Municipal pelos agentes da proteção civil que pertencem ao Concelho Municipal de Segurança (Bombeiros de Nelas e Canas de Senhorim, GNR de Nelas e Canas de Senhorim e SEPNA Ambiente e Serviços Municipais de Proteção Civil ) que compareceram em 23 de Junho a pedido do Presidente da Câmara , responsável máximo municipal da proteção civil, para fazer o ponto da situação no concelho de Nelas aquando das tragédias de Pedrogão Grande e concelhos vizinhos e porque se aproxima um verão com elevadas temperaturas.

Apesar de os serviços de limpeza e prevenção estarem já a ser prestados, bem como da circunstância de a Buldozzer camarária pertencer ao dispositivo distrital de combate que pode ser mobilizado a todo o instante e de serem alertados para o perigo que constituiria a paragem destas ações por privação dos meios financeiros , meios esses que foram libertados da aprovação de um projeto de produtos turísticos pela CCDRC( e destinado a quaisquer festas ou outros eventos promocionais mas a esta necessidade básica da segurança e tranquilidade públicas ),os vereadores de forma inacreditável votaram contra sem qualquer fundamento ou razão ao nível do destino da necessidade do pretendido reforço de meios.

Porque isto é mesmo “política de terra queimada” com violação clara dos deveres dos autarcas e do contrato de confiança que os eleitores depositam nos seus eleitos, informo que irei impugnar judicialmente esta irresponsável e vergonhosa decisão e que responsabilizarei judicialmente os referidos vereadores pelos danos resultantes dos incêndios que resultem desta privação dos meios ao dispor do Presidente da Câmara, a quem cabe legal, cívica e eticamente preservar, por todos os meios, a vida, a saúde e os bens dos munícipes, instituições e empresas.

Em política não vale tudo! Uma vergonha !

Isto não é só querer mal ao Presidente da Câmara que quer proteger e dar segurança ás populações. Isto é querer mal- o pior!- ao Concelho, ás empresas e ás pessoas e suas famílias !

Nelas, 12 de Julho de 2017

O Presidente da Câmara 

José Borges da Silva

Nota de Imprensa do Vereador Manuel Marques :

AS POPULAÇÕES DO NOSSO CONCELHO MERECEM SABER TODA A VERDADE!

E PARA SE SABER A VERDADE, NUNCA A VOZ ME DOERÁ!

O vergonhoso comunicado do presidente da câmara municipal de Nelas, diz tudo menos a VERDADE!

Quanto a prevenção de incêndios, adjudicou em abril de 2017, à empresa que lhe anda a colocar as estruturas metálicas para a sua campanha eleitoral, trabalhos de arranjos de caminhos florestais no valor de 14.000,00€, tendo anteriormente adjudicado à mesma empresa, mais trabalhos de arranjos de caminhos florestais no valor de 21.000,00€.

Em suma: à empresa que lhe anda a colocar as estruturas metálicas já lhe adjudicou quase 100.000.00€ de trabalhos, estes factos podem ser consultados na página www.base.gov.pt.

A estes valores acresce uma outra empresa, na qual não me vou pronunciar, dado que, existe um processo em tribunal e em investigação.

A câmara municipal tem uma BULDOZZER, sua propriedade ao serviço de limpeza de caminhos, veja-se os fundamentos esfarrapados para justificar o aluguer de uma outra, “ bem como da circunstância de a Buldozzer camarária pertencer ao dispositivo distrital de combate que pode ser mobilizado a todo o instante “.

Que trabalhos prestou a “nossa” Buldozzer” no Distrito?

Mais vergonhoso é que a câmara Municipal, tenha parado nos estaleiros municipais quase todos os equipamentos de limpeza, tendo eu na reunião de ontem levantado esse incidente, ao qual não obtive resposta.

É oportuno, já que o presidente da câmara publique relação dos caminhos indicados a limpar pelas entidades que estiveram presentes na tal reunião de junho de 2017.

Com o devido respeito, que muito é, o presidente da câmara usou aquelas entidades para lhe permitir a legalização de trabalhos que há mais de um ano foram executados sem procedimentos.

Avizinham-se as eleições, avizinha-se a derrota do atual presidente de câmara, então há que legalizar as situações.

Era oportuno que em vez do mentiroso comunicado, o presidente da câmara explicasse as populações do nosso concelho que gestão é esta! em vez de utilizar os meios da câmara municipal, faz adjudicações.

Para sabermos toda a VERDADE, o concelho merece um esclarecimento por parte do presidente da câmara às perguntas sobre esta matéria, que lhe foram apresentadas no local próprio, reunião de câmara.

O vereador do CDS-PP

Manuel Marques

.