Boas Quintas, Global Wines, Casa da Insua e Casa da Passarela grandes vencedores do Concurso dos Melhores Vinhos Engarrafados do Dão

A Comissão Vitivinícola do Dão (CVR Dão) organizou a oitava edição do “Concurso Melhores Vinhos Engarrafados do Dão”, cujos premiados foram conhecidos esta sexta-feira, 7 de Julho.

Esta ação pretende distinguir a qualidade da produção no Dão e dar a conhecer o que de melhor é produzido na região.

O Júri do Concurso integrado por elementos das Câmaras de Provadores de diversas CVR´s (Beira Interior, Bairrada, Vinhos Verdes, Península de Setúbal, Trás os Montes, Instituto dos Vinhos do Douro e Porto e Confraria dos Enófilos do Dão) e presidido por Luis Ramos Lopes, Director da Revista “Vinhos Grandes Escolhas”.

Foram avaliadas 138 amostras de vinho DOP Dão, provenientes de 39 agentes económicos, registando-se um aumento de 16% do número de vinhos a concurso, em relação a 2016.

Segundo o regulamento os vinhos a concurso foram agrupados nas seguintes categorias: vinhos brancos, vinhos tintos, vinhos rosados, vinhos de castas e vinhos espumantes naturais (brancos, tintos e rosados).

Ao vinho Medalha de Ouro mais pontuado nestas categorias é atribuído o prémio “PRESTÍGIO”.

Vencedores do Prémio PRESTÍGIO:

FONTE DO OURO, TINTO, RESERVA ESPECIAL, 2015 – Soc. Agrícola Boas Quintas Lda.

SOMONTES, BRANCO, 2016 – Passarela, Soc. de Vinhos, Lda.

CABRIZ, TINTO, RESERVA, 2013 – Global Wines S.A.

CASA DA ÍNSUA, ESPUMANTE BRUTO, BRANCO, 2015 – Empreendimentos Tur. Montebelo S.A

Segundo Luis Ramos Lopes, registou-se um elevado número de amostras em prova, revelador do dinamismo dos produtores da região do Dão e da importância que este concurso tem vindo a desempenhar nas suas estratégicas comerciais e de comunicação.

Salientou também a alta qualidade média dos vinhos provados, reflectindo não apenas as boas práticas de vinha e adega hoje generalizadas a todos os produtores do Dão, mas também o tremendo potencial do “terroir” regional, e a sua expressão do solo, clima, castas e do imprescindível factor humano.

Saudou igualmente a diversidade, quer em termos de estilos de vinhos quer das castas utilizadas. O Encruzado e Touriga Nacional continuam a ser a bandeira da região, mas não se pode reduzi-la a duas variedades. Os vinhos premiados mostram também a riqueza e complexidade dos vinhos de lote, e o papel importantíssimo de castas como Malvasia Fina, Cerceal Branco, Tinta Roriz e Alfrocheiro, entre outras, no carácter regional.

Finalmente, os vinhos provados vieram reforçar uma tendência patente nos últimos dois ou três anos e que aponta para um regresso do Dão ao “perfil original”, rejeitando excessivas concentrações, extracções e maturações e apontando para a elegância, mineralidade e frescura que fizeram a fama desta região.

 

A lista dos premiados pode ser consultada através do link:

http://www.cvrdao.pt/noticias.asp?idnot=319

 

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies