Crónica “Pelourinho”.A Marca Coração do Dão

Na recuperação económica que permite o país respirar, o sector do Turismo tem-se evidenciado. O Concelho de Nelas, fruto das suas tradições termais, sempre se habitou a receber visitantes. Ainda hoje a capacidade hoteleira do concelho é significativa quando comparada com concelhos vizinhos. O Vinho Dão, e tudo o que o rodeia, tem ganho uma visibilidade cada vez maior com a crescente reputação das marcas locais e também por conta de investimentos significativos (por exemplo os da Lusovini e da Global Wines). Já no que concerne às Caldas da Felgueira continua a haver um alheamento incompreensível. O atual executivo manteve-se, como anteriores, com outras prioridades. Mais pior que a inação é o “investimento” deliberado na menorização das marcas quando estas fazem parte da identidade. A marca “Coração do Dão” tem uma tradição de 70 anos. A notoriedade desta é evidente, e não carece de ser explicada. Contudo o atual Edil, resolveu desligar a imagem do Município desta marca, substituindo-a por um incaracterístico e sensaborão “Nelas Vive” (Quanto custou esta mudança?). Mesmo compreendendo uma humana (mas dispensável) vontade de deixar marca pessoal, quem lidera deve guiar-se por outra razoabilidade. Se fez mal, corrige. Não havendo humildade para o fazer, deve esta situação ser revertida pelos novos órgãos a eleger em outubro.

Manuel Alexandre Henriques

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies