“Nós temos que pôr o Marques na Câmara”

O CDS acredita que está a promover “uma onda de vitória” e que é possível eleger Manuel Marques como presidente da Câmara Municipal de Nelas. Num multiusos lotado e com o apoio da líder do partido, o candidato centrista ao município nelense prometeu ficar e promete baixar os impostos municipais e construir o Museu do Vinho, em Santar. O CDS, que não tem candidato à Junta de Freguesia de Canas de Senhorim, sabe que precisa arrancar votos no eleitorado da direita e elegeu o PSD como o adversário directo, conseguindo já o apoio da vereadora Rita Neves. Pedro Alves, presidente da distrital do PSD e antigo chefe de gabinete de Isaura Pedro foi o alvo de todas as críticas. Assunção Cristas promete vir à tomada de posse.

This slideshow requires JavaScript.

Bandeiras e muitos aplausos para o aparelho centrista que esteve em peso na apresentação do candidato Manuel Marques para conhecer “uma onda vitoriosa”, disse Jorge David que não poupou nas críticas “a um indivíduo de Viseu, chefe de gabinete de Isaura Pedro e que veio acusar o nosso candidato de ter uma agenda pessoal”. O presidente da Mesa da Concelhia, afirmou que “o nosso candidato tem um agenda que está comprometida com o concelho, não com o carreirismo político”, atirou, questionando ainda “o que fez o PSD pelo tribunal? Nada” e aconselhou Pedro Alves “a ir pregar noutra freguesia que em Nelas sabem bem o mal que nos fez”.

Estava dado o toque e Manuel Henriques, candidato à Assembleia Municipal pegou na deixa e acusou Alves de “favorecer a família, não assumindo o que fez e fugindo”. “É este o amigo de Isaura Pedro que aterrou aqui e a antiga presidente permitiu-se ter um comissário politico”, criticou. Mais assertivo Henriques acusou a candidata do PSD de “abandonar o concelho, recusando a vereação, em busca de melhores ordenados”. Sobre Borges da Silva considerou ser um “presidente inábil, numa onda de insultos com os vereadores que dele discordam e procurando fazer negócios, como sucedeu com a Nelcivil, misturando vida pública e vida pessoal”. Manuel Henriques terminaria dirigindo-se aos eleitores do PSD para que “a 1 de Outubro se lembrem de quem nos fez mal”, disse lembrando que o CDS-PP procurará “fazer uma campanha positiva mas se formos atacados reagiremos”.

Museu do Vinho e obras para os empreiteiros do concelho

Muito aplaudido Manuel Marques agradeceu o apoio e caucionou o atual presidente como sendo “o candidato da mentira com uma gestão ruinosa. Mas nós não iremos baixar a esse nível e primeiro estarão Nelas e as suas populações”. Dado o remoque, Manuel Marques prometeu construir o Museu do Vinho, em Santar e na contratação pública “privilegiar os fornecedores e os empreiteiros do concelho”. Marques defende ainda uma “política de aquisição de imóveis devolutos, reabilitar e vender a preços acessíveis”. No cardápio eleitoral constam ainda a construção do centro escolar de Canas de Senhorim e a promoção de uma agenda cultural para “o auditório dos Bombeiros de Canas, Casa do Pessoal da Urgeiriça e Teatro de Nelas”. Sempre muito aplaudido e com a plateia colorida por dezenas de bandeiras o candidato do CDS prometeu incrementar um “grupo voluntário de vigilantes da floresta” e “baixar os impostos, IMI e IMT, com a mesma determinação que tive para os aumentar”, disse. Acusando o atual executivo de ter arrecadado 2,1 M€ em impostos, que “gastou em festas, avenças e amigos” prometeu uma gestão cuidadosa para “baixar também a fatura da água”. Lembrando que “os técnicos da câmara não são alcoólicos nem ladrões”, prometeu recuperar os técnicos municipais num executivo que “será de verdade”, garantindo que ficará “para sempre,não como outros que não dizem se vão ou se ficam e regressam agora. Eu não premeditarei a fuga e ficarei”.

Por entre muitas lembranças das conquistas conseguidas com o Governo PSD/CDS e eologios a Assunção Cristas chamou, de seguida os candidatos às freguesias. Em Canas de Senhorim o CDS não terá candidato; em Carvalhal Redondo e Aguieira será António Andrade e na Lapa do Lobo António Loureiro. Em Nelas a escolha é Mário Saúde e em Santar Moreira José Guilherme; António Silva em senhorim e Francisco Sampaio, em Vilar Seco, fecham as escolhas.

“Um sinal incrível de uma dinâmica de vitória”

Embalada por Hélder Amaral, que lembrou que a líder do partido “não teve medo de vir a Nelas apoiar o candidato”, Assunção Cristas considerou Marques “um belíssimo presidente de Câmara porque mais importante que a sigla partidária, na qual temos muito orgulho, é o amor de quem veste a camisola e nós temos aqui muito mais gente que o nosso partido”.

Sublinhando a “humildade”, Assunção Cristas apontou Manuel Marques como “um fazedor” e Nelas “tem aqui a oportunidade de confiar porque chegou a altura de pormos esta capacidade ao serviço de Nelas que este candidato não vem à experiênca. Nós temos que pôr o Marques na Câmara. E vai ganhar a câmara e eu cá estarei na sua tomada de posse”, disse.

Amadeu Araújo