PSD tem em Nelas “a lista mais inovadora de todo o distrito”. Duas mulheres encabeçam as listas à CM e AM

Isaura Pedro recandidata-se a Presidente de Câmara e Maria João Ribeiro encabeça lista à Assembleia Municipal. Lista representa também um grande “encontro geracional”

O PSD promete fazer uma campanha porta-a-porta, casa a casa, empenhada e com dois adversários declarados: o “partido do senhor Silva” e o candidato do CDS, acusados de terem uma agenda pessoal. Na apresentação da candidatura o PSD acredita que é possivel regressar ao poder, não apresenta candidato em Canas de Senhorim e Isaura Pedro, a candidata deputada que interrompeu o discurso de apresentação para cumprimentar o líder parlamentar, promete proximidade com uma lista que o partido considera a mais inovadora de todo o distrito.

Neste Domingo com o Multiusos de Nelas cheio e sem bandaeiras na plateia, o tiro de partida foi dado por Daniel Marialva. O líder da concelhia avisou que “o concelho não é nosso mas de todos” e lembrou o episódio do pagamento dos subsídios às associações que “não é feito só por falta de vontade ou de dinheiro”, disse, lembrando ainda que a Câmara de Nelas “pediu a antecipação das verbas do IMI”. Uma “opção de uma política que escolhe mega tenda de Natal, a feira do vinho do Dão e as avenças em vez do rigor. Erros de quem tem uma cultura de imagem e que mostram que em Nelas existe o risco de o PS perder a Câmara”, disse o líder concelhio lembrando que “em Nelas o PSD tem a lista mais inovadora no distrito”.

Um tribunal na luta política

A seguir falou Pedro Alves, o líder da distrital que durante seis anos esteve com Isaura Pedro na Câmara Municipal, e as críticas subiram de tom. Alves lembrou que no primeiro mandato do PSD (entre 2005 e 2009) “Borges da Silva, que era vice-presidente, foi motivo de instabilidade e desrespeito e foram as razões e o ego dele que não compatibilizaram a equipa”. Já no segundo mandato, entre 2009 e 2013, “vivemos a chantagem do CDS cujo candidato vive do medo, da pressão e da perseguição”, disse referindo-se a Manuel Marques que “tem uma agenda pessoal”. Pelo que “com a atual equipa é o projecto e a ideologia do PSD e é preciso voltar a unir o concelho, sem ser instrumento de agendas pessoais ou de amiguismos”. Pedro Alves, que teceu rasgados elogios a Isaura Pedro, considerou a candidatura “um projecto aberto, que promete uma gestão transparente e comprometida com a terra”. Mas, avisou o lider da distrital do PSD, “temos desafios e perigos pela frente”. Alves lembrou os casos de Oliveira do Hospital e de Carregal do Sal onde as autarquias, socialistas, “conseguiram obter do Governo ganhos, o que o PS não consegiu em Nelas”. E de seguida lembrou o papel da atual candidata na manutenção do Tribunal de Nelas para avisar que “o actual Governo está a reverter tudo o que o Governo do PSD fez. E em 2018 há o risco de o Tribunal deixar de ser de competência genérica para passar a ser uma instância de proximidade e o concelho deixar de ter aqui juiz. E agora como o presidente da Câmara não é advogado, cala-se porque não lhe interessa”. Avisado, “o PSD sabe ao que vai”, prometeu uma campanha “casa a casa, porta-a-porta, café a café. Falando verdade”.

“Mas que raio faz um socialista num comício do PSD”

Foi com esta pergunta que o socialista Américo Borges se apresentou à plateia. Membro da comissão de candidatura de Isaura Pedro o histórico socialista garantiu que “o PS não vai concorrer à Câmara de Nelas. O PS que irão ver nos cartazes é do Partido do Silva um rapaz que lá está e que só nos envergonha”. Américo defendeu ainda que “o povo do concelho de Nelas não é estúpido e se foi enganado serviu para abrir uma janela de inteligência para não votar num energúmeno cujo nome me repugna pronunciar”, disse, referindo-se ao actual autarca. E prometeu fazer campanha “porta a porta, café a café para melhorar a vida de todos aqueles que optaram por morar aqui”.

This slideshow requires JavaScript.

Nelas no coração do Dão como primeira medida

Galvanizada pelas palmas e apoios Isaura Pedro agradeceu “ao amigo Américo” e prometeu fazer melhor e de forma transparente. E a primeira medida vai ser “colocar o brasão do concelho nos documentos oficiais e restaurar o lema ‘Nelas no coração do Dão que foi substituido por uma imagem psicadélica que nem sabemos bem o que é”.

Isaura promete ainda “criar um grupo de acompanhamento para as empresas e requalificar os parques industriais, sem folclore nem com iniciativas avulsas”.

“Uma incubadora de empresas e a promoção de uma associação empresarial e comercial” são outras das prooridades. E foi neste ponto do discurso, em que se dirigia à plateia que a candidata deputada interrompeu a mensagem para descer do palco e ir cumprimentar o líder parlamentar do PSD. Luís Montenegro, que haveria de encerrar a sessão, chegou atrasado mas Isaura não se acanhou, interrompeu a comunicação, desce do palco, cumprimentou o líder parlamentar e voltou a subir ao palco para prometer a criação de “um observatório social, apoios à natalidade, percursos pedonais, um centro de interpretação da vinha e do vinho a par de fazer da Quinta da Cerca um centro pedagógico para o turismo de natureza”. Sublinhada foi ainda a requalificação ambiental do concelho que “não foi feito por um ego incomensurável do actual presidente que desaproveitou de forma vergonhosa todos os apoios disponíveis”.

Coube a Luís Montenegro fechar a sessão com a promessa de “oferecer um estilo de presidência que não é totalitário porque a câmara não é propriedade de ninguém. Há pessoas que têm a mania que podem, querem e mandam em tudo mas connosco jogamos em equipa porque juntos somos mais fortes”, frisou. E garantiu que “até 1 de Outubro cada voto é um voto e temos o dever de reflectir sobre o que é melhor para a nosso terra” mas para isso “é preciso ir a cada rua, c ada terra, a cada lugar, bater a cada porta e, com alegria e sobriedade, mostrar que esta é uma candidatura com honestidade e competência”, concluiu.

PSD não concorre em Canas de Senhorim

Na sessão o PSD apresentou os candidatos às freguesias, sendo já certo que em Canas de Senhorim não terá candidato.

Manuel Mendes será o cabeça de lista na União de Freguesias de Carvalhal Redondo e Aguieira; Jorge Abrantes na Lapa do Lobo; Rui Sousa em Nelas; Manuel Mena na União de Freguesias de Santar e Moreira; Fernando Francisco em Senhorim e Pedro Morais em Vilar Seco.

Amadeu Araújo