Manuel Marques justifica falta à reunião de hoje e afirma que votaria contras as contas

Em comunicação que fez chegar à nossa redação, o Vereador do CDS/PP justifica a sua ausência na reunião extraordinária de hoje, com um reunião de trabalho inadiável e faz saber que, devido à falta de resposta sobre a prosposta que fez ao Edil de Nelas, para uso do saldo de gerência de 2016, iria votar contra a Conta de Gerência de 2016 : 

“Lamentavelmente a convocatória foi recebida por correio eletrónico no dia 14.06.2017, pelas 20:34, quando foi realizada uma reunião ordinária no mesmo dia, por uma questão de respeito, deveríamos ter sido informados que iria ser marcada uma reunião extraordinária.Mas, mais uma vez imperou a falta de respeito pelos vereadores e o posso quero e mando da sua parte.

Ora, nessa reunião ordinária, mais uma vez vossa excelência, mentiu e mandou mentir, quando o órgão Câmara Municipal foi informado pela senhora vice presidente, que o presidente da Câmara, se tinha deslocado a Lisboa  para uma reunião com o Senhor Ministro das Infraestruturas.

Rotundamente falso! Pois que, foi visto durante toda a amanhã em Nelas e às 15:20, a subir as escadarias do Edificio da Câmara Municipal de Nelas.

Além da profissão de jurista, exerço também a presidência de três associações o que me ocupa muito tempo, na resolução de alguns problemas dos agricultores do nosso concelho, da região e até mesmo do País.

Tudo fiz para alterar a data de uma reunião, que tenho em Montemor Novo/Alentejo, pelas 13H00, o que foi de todo impossível, dado que, é uma reunião de âmbito nacional.Tendo mesmo sido dispensado pelo Exmo. Senhor Presidente da Câmara Municipal de Mangualde, para esse efeito.

O meu voto não seria favorável à sua chicana política, dado que, não respondeu até às 17:00, de ontem, ao que eu lhe exigi para votar favoravelmente os documentos da Conta de Gerencia de 2016.

A saber:

“Nestes termos, deverá vossa excelência determinar que os Serviço elaborem uma lista de subsídios a atribuir e o pagamento dos já atribuídos, distribuindo criteriosamente o Saldo da Conta de Gerência do ano de 2016, no valor de 206.311,85€ por todas as associações do concelho.

Deverão os subsídios a pagar e atribuir, serem acompanhados com a respetiva Cabimentação Orçamental e Fundos Disponíveis, a elaborar pelos Serviços de Contabilidade da Autarquia, para que não aconteça o que até hoje sucedeu, em que vossa excelência apresentou propostas de deliberação de subsídios, sem Cabimentação e Fundos Disponíveis, que foram aprovados, bem o sabendo que  é de todo ilegal.

Advirto vossa excelência de que se o pedido não for cumprido, sou obrigado a votar contra a aprovação dos Documentos de Prestação de Contas do ano de 2016.”

Assim sendo, deverá a minha falta ser considerada relevada.