Jovens no século XXI

Com a globalização económica vieram as mudanças tecnológicas para a sociedade civil. Quem melhor se adapta a este novo mundo é obviamente a geração mais nova. Os jovens têm acesso a quantidades enormes de informação variada e de forma extremamente célere. Contudo, acedem a informação e não a conhecimento. Ao mesmo tempo que estão instantemente ligados ao mundo, estão muitas vezes alienados de questões estruturantes da sociedade e alienados dos perigos da realidade virtual.

Esta nova dimensão juvenil traz problemas diferentes para a juventude do seculo XXI. Muitas vezes atrapalha o crescimento dos mais novos, ora acelerando ora afastando-os de valores culturais de referência na comunidade em que estão inseridos, especialmente no que diz respeito a referências parentais e comportamentais.

Não podem ser apenas os pais e familiares a estar atentos a movimentos de massa que difundem, junto dos jovens, práticas incorretas e que comprometem o seu futuro.

É necessário entrar no mundo dos jovens, compreender e identificar problemas sem julgar. Perceber que o desenvolvimento emocional, comportamental e educativo muda de geração em geração e que caberá à sociedade, no seu todo, ir ao encontro de métodos preventivos de comportamentos de risco. Cada geração irá encontrar os seus próprios obstáculos para se sentir integrada na sociedade. As novas tecnologias tanto trazem problemas como soluções, tanto aproximam como afastam.

É urgente a criação de medidas que evitem o isolamento criado pela tecnologia e que promovam uma navegação responsável, saudável e informada.

Jovens informados são/serão cidadãos melhores.

                                                                            Natália Mendes – Técnica Superior, representante do Instituto Português do Desporto e Juventude (IPDJ), na CPCJ de Nelas

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies