CDS/PP Nelas defende uma gestão transparente em que “não colidam negócios do passado ou do presente”

O CDS/PP de Nelas, em nota que acaba de fazer chegar à nossa redação,reforça a posição do seu Vereador, Manuel Marques, ontem em reunião de Câmara, que rejeitou liminarmente (conjuntamente com mais quatro vereadores) a aquisição das instalações da falida Nelcivil, não por serem “contra a instalação de um polo de formação”, mas especificamente contra a compra proposta por Borges da Silva :

De uma forma habilidosa, o atual presidente da câmara municipal de nelas, pretendeu capciosamente “misturar” a compra da NELCIVIL, com a criação de um Centro de Formação e uma Incubadora de Empresas.

Esta mistura, tão só e apenas, lhe serviria para coagir os vereadores e a tentativa de consumação do seu negócio.

Os cinco vereadores que votaram contra o seu negócio, UNANIMEMENTE, afirmaram que não eram contra a instalação daquele polo de formação, mas sim, contra aquela aquisição.

Indicando, inclusive,  vários edifícios, propriedade do Município, ou porque não, um protocolo a celebrar temporariamente com as antigas instalações dos nossos Bombeiros.

Não somos CONTRA! até porque foi aprovado por toda a câmara municipal um projeto de 10.000.000,00€, para requalificação das Zonas Industriais, designadamente a Zona Industrial I, onde estava incluído a construção de um edifício para o que ele agora pretendia instalar na NELCIVIL, que seria construído por expensas da autarquia pelo valor de 150.000,00€ se o edifício custasse 1.000.000,00€, pois que, era e é financiado a 85%  pelos Fundos Comunitários.

No âmbito deste projeto do QREN, foram aprovados alguns Protocolos, com o IPV e IEFP, no sentido de enquanto a obra não estivesse concluída, a formação seria dada nas Oficinais Municipais, nas salas do Cine teatro de Nelas e no Edifício Multiusos.

O CDS/PP, não entende, ou até entenderá as razões de tantas inverdades, sobre este negócio de Borges da Silva.

O CDS/PP, sempre entendeu que este negócio era de origem duvidosa, o que veio a confirmar-se com a ABSTENÇÃO da vice-presidente de câmara, Sofia Relvas.

O Município de Nelas, merecerá uma gestão muito transparente, em que não colidam os negócios do passado ou do presente, seja quem forem os protagonistas políticos.

Nelas, 26 de janeiro de 2017

A CPC do CDS/PP de Nelas