Oliveira do Hospital. Autarquia dinamizou ações de educação ambiental e preservação da floresta

O Município de Oliveira do Hospital dinamizou esta semana, no âmbito da Semana da Florestação/Reflorestação Nacional e do Dia da Floresta Autóctone, duas ações de educação ambiental e preservação da floresta. Enquanto entidade parceira dos movimentos nacionais “Plantar Portugal” e da “Flosemear-para-crescer_3restar Portugal 2016” da AMO Portugal, associou-se, uma vez mais, a este movimento fomentando a educação ambiental, nomeadamente junto dos mais novos.

Nesse sentido, perto de 500 crianças que frequentam o ensino pré-escolar no concelho de Oliveira do Hospital participaram, no dia 22 de novembro, na ação de sensibilização ambiental “Semear para Crescer”. Sob o lema “Semeia uma bolota, faz nascer uma árvore” foram envolvidas 29 salas de 21 estabelecimentos de ensino que durante este dia semearam bolotas e castanhas, num total de 1500 sementes que darão origem a novas árvores autóctones – carvalho, sobreiro e castanheiro. Essas novas árvores serão depois mudadas para terreno definitivo durante as ações de reflorestação a desenvolver no concelho.

Na dinamização da ação desta terça-feira, o Município de Oliveira do Hospital contou com o envolvimento de um conjunto de parceiros, nomeadamente os membros da Comissão Municipal de Defesa da Floresta Contra Incêndios: ADESA; Bombeiros Voluntários de Lagares da Beira; Bombeiros Voluntários de Oliveira do Hospital; Caule; Cooperativa Agro Pecuária da Beira Central; Cooperativa dos Agricultores de Alvoco de Várzeas; GNR; ICNF; e funcionários do Gabinete de Proteção Civil e Defesa da Floresta do Município.

Desenvolvido pelo quarto ano consecutivo, “Semear para Crescer” é um projeto de educação e sensibilização do Município que visa incutir nas crianças, desde cedo, os valores da preservação ambiental, como assinalou a vereadora das Florestas e Desenvolvimento Rural, “as crianças em idade pré-escolar são como uma esponja que absorve todos os conhecimentos que possamos transmitir”. Também o vereador do Ambiente sublinhou, na breve reunião com os parceiros antes do arranque da ação, os números envolvidos nestas ações, seja nas crianças envolvidas seja nos 25 hectares já reflorestados com espécies autóctone. Projeto coordenado pelos pelouros do Ambiente, da Floresta e da Educação, também a vereadora Graça Silva quis registar o envolvimento dos parceiros que contribui para o sucesso da “política do Município que é criar junto dos mais novos estas ações e incutir-lhes boas práticas ambientais” porque “certamente vão ser cidadãos mais preocupados com o ambiente e a defesa da floresta”.

Também o presidente da Câmara Municipal, José Carlos Alexandrino abordou “a importância destas ações simbólicas de sensibilização”, frisando que estes alunos se forem consciencializados irão ser mais preocupados no futuro.

Já esta quarta-feira, no Dia da Floresta Autóctone (23 de novembro), o Município de Oliveira do Hospital lançou o novo projeto ambiental “É Hora de Cuidar”. Depois da reflorestação de 25 hectares, através do projeto “Plantar um Amigo” com a participação da sociedade civil mas sobretudo das crianças do 1.º ciclo, é agora tempo de cuidar destas novas árvores plantadas.

O novo projeto foi lançado simbolicamente num terreno municipal localizado no Vale da Madrana (Chamusca da Beira), um dos primeiros a ser reflorestado, com uma ação de retancha e limpeza do povoamento de carvalho. Este projeto – “É Hora de Cuidar” vai continuar através da limpeza dos vários povoamentos de floresta autóctone, plantados desde 2010, envolvendo também os vários agentes e voluntários que têm colaborado com o Município, dando continuidade ao trabalho de proteção da floresta, como disse Teresa Dias. No arranque deste novo projeto, a vereadora da Floresta e Desenvolvimento Rural explicou que “o objetivo central de todas estas ações é a educação ambiental das crianças e jovens do concelho e a sensibilização para as questões do ambiente e da floresta”.

CM de Oliveira do Hospital