Seis anos de programação artística para crianças, jovens, famílias e agentes educativos

Educar para emancipar

O PROJETO ALCATEIA – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo (FLL) considera a educação não formal como dimensão fundamental do processo de aprendizagem ao longo da vida, do mesmo modo que assume a educação artística (conceito aqui entendido como distinto de ‘ensino artístico’, que é vocacional) como elemento integrante da formação humana. É com base nestes pressupostos que a ação deste Serviço Educativo tem sido pensada e operacionalizada, desde janeiro de 2011.

“Uma das tarefas mais importantes da prática educativa-crítica é propiciar as condições necessárias em que os educandos nas suas relações (…) ensaiam a experiência profunda de assumir-se. Assumir-se como ser social e histórico, como ser pensante, comunicante, transformador, criador, realizador de sonhos”. Esta citação, da obra “Pedagogia da Autonomia – Saberes necessários à Prática Educativa”, da autoria de Paulo Freire, marcou particularmente o ano de 2016 do PROJETO ALCATEIA.

De facto, um dos principais objetivos do ano foi “promover espaços de reflexão e debate sobre educação, arte e infância” e, nesse contexto, foi realizada a primeira edição dos “Encontros da Educação e do Pensamento”, que contou com a participação de seis oradores de áreas como pedagogia, sociologia da infância, educação artística, programação cultural, psicologia e intervenção social, todas na sua relação com as crianças, as famílias e os agentes educativos.

Na continuidade do trabalho que tem a vindo a ser desenvolvido, nos últimos seis anos, as opções de programação do PROJETO ALCATEIA – Serviço Educativo da FLL têm sempre em conta a relevância do pensar e do sentir no processo de autoconstrução, por parte de crianças e jovens, mas também adultos.

Mais do que uma metodologia pedagógica, este Serviço Educativo procura, não tão radicalmente como preconizado pelo filósofo francês Jacques Ranciére, uma metodologia filosófica, no campo de uma intervenção artística e educativa que considera o conhecimento como uma construção pessoal de cada indivíduo, a partir da sua própria experiência. E, neste sentido, procura educar para emancipar.

O ano de 2016 em números, pessoas e lugares

Ao longo deste ano, foram 18 as atividades propostas para os mais diversos públicos, desde espetáculos, concertos, concursos, sessões de cinema, visitas, oficinas, ações de formação e outros encontros, todos eles convites à descoberta e à experimentação.

Para além do envolvimento dos Agrupamentos de Escolas, IPSS e Escolas Privadas de Canas de Senhorim, de Carregal do Sal e de Nelas, o PROJETO ALCATEIA procurou o envolvimento das famílias, através de projetos como “Aqui há Lobo! – Festa para a Família”, num formato de regularidade anual, bem como de sessões especiais de espetáculos para a infância (como “Quarto do Noiserv”) e de apresentações públicas do resultado de oficinas de férias (de Natal, de Páscoa e de Verão).

Em cada quadrimestre de programação, houve também desafios lançados ao público adulto, designadamente aos agentes educativos, em formatos de ação de formação, em áreas de cruzamento entre a prática artística e a prática educativa.

No total, foram mais de 4000 os participantes em atividades e projetos do Serviço Educativo da FLL, em 2016. Este número de público, que se tem mantido ao longo dos anos, só foi possível com a colaboração de 44 profissionais (artistas, companhias e formadores), alguns dos quais colaboradores regulares do PROJETO ALCATEIA.

As parcerias pontuais com outros agentes e instituições são também valorizadas na ação deste Serviço Educativo, que, durante este ano, contou com a parceria do GAAF – Gabinete de Apoio ao Aluno e à Família da Câmara Municipal de Nelas, do Clube de Oralidade do Agrupamento de Escolas de Carregal do Sal, da CPCJ – Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Nelas, da Quinta Vale do Lobo, do Cineclube de Viseu e da organização não-governamental Help Images.

A programação estendeu-se por vários espaços, desde o Auditório Maria José Cunha, passando pelo pátio da FLL, o Jardim e as ruas da aldeia da Lapa do Lobo, as salas de aula, as bibliotecas e o recreio das escolas, a Quinta Vale do Lobo e outros lugares improváveis, mas sempre possíveis para a partilha.

A antevisão da programação para 2017

Utopia, liberdade, tempo, memória, amor, crescimento, vida, morte… e festa! A programação do PROJETO ALCATEIA – Serviço Educativo da FLL, para 2017, é atravessada por estes e outros conceitos, que estimulam a reflexão sobre a existência do mundo e a nossa própria existência. De um modo mais ou menos lúdico ou mais ou menos sério, em conformidade com o respetivo público-alvo, são partilhadas questões sem respostas únicas ou respostas erradas.

Ao longo do ano, é assumida uma presença maior do teatro, enquanto linguagem artística: do teatro da palavra ao teatro físico, do teatro de marionetas ao teatro de objetos, do teatro interventivo ao teatro participativo.

Da mesma forma, é de assinalar o recurso recorrente à inspiração literária: “Utopia”, de Thomas More; “Supergigante”, de Ana Pessoa; “Os Irmãos Karamázov”, de Fiódor Dostoiévski; “O Brincador”, de Álvaro Magalhães; “O Museu da Inocência”, de Orhan Pamuk; “O Livro da Dança”, de Gonçalo M. Tavares…

Para isso, o Serviço Educativo conta com a colaboração de companhias como Comédias do Minho, Palmilha Dentada, Teatro e Marionetas de Mandrágora e Amarelo Silvestre, e de profissionais como a escritora Ana Pessoa, o pedagogo José Pacheco e a atriz/encenadora Sónia Barbosa, entre muitos outros.

Uma programação com espaço para mundos ideais, pensamentos filosóficos, histórias reais e viagens feitas pelo próprio pé!

Ana Lúcia Figueiredo

Coordenadora do PROJETO ALCATEIA Serviço Educativo da FLL