“Karamázov – da Literatura para o Teatro” dinamizou a criação teatral na FLL

Nos dias 15, 16 e 17 de novembro, o Projeto Alcateia – Serviço Educativo da Fundação Lapa do Lobo (FLL) apresentou “Karamázov – da Literatura para o Teatro”, um workshop de criação teatral a partir de texto literário, orientado pela atriz e encenadora Sónia Barbosa. Este workshop foi integrado num projeto de pesquisa e criação teatral a partir da obra literária “Os Irmãos Karamázov”, de Fiódor Dostoiévski.
Durante três dias, os participantes foram convidados a discutir questões do pensamento ‘dostoiveskiano’, à luz da contemporaneidade, a dramatizar personagens e situações, a transpor a linguagem literária para linguagem cénica e a criar breves exercícios teatrais.

This slideshow requires JavaScript.


As pessoas que participaram neste processo foram 14, com idades entre os 17 e os 74 anos, vindos de lugares tão próximos como Fiais da Telha, Canas de Senhorim ou Nelas, e de lugares tão distantes como Santa Comba Dão, Castro Daire, Aveiro, Guarda ou Alcobaça. Para a maioria das pessoas, esta foi a primeira participação numa ação do Serviço Educativo da FLL, o que não impediu a proximidade e a cumplicidade entre todos os elementos do grupo, tendo resultado exercícios extremamente interessantes e estimulantes, quer do ponto de vista da criação artística, quer do ponto de vista da exploração temática.
Tal como se pretendia, este processo potenciou, assim, uma abordagem filosófica, a partir das relações que se estabelecem continuamente entre mundo conceptual (do pensamento, das ideias, dos ideais) e mundo real (do quotidiano, das ações, dos hábitos).
Para além de proporcionar a participação em processos de pesquisa e criação teatral, este workshop permitiu promover o cruzamento entre teatro, literatura, escrita dramatúrgica e pensamento filosófico, assim como estimular competências expressivas, críticas e criativas.
Na obra citada, diz Fiódor Dostoiévski que “Somos assim: sonhamos o voo mas tememos a altura”. Neste caso, apesar dos receios e inseguranças pessoais, este grupo de pessoas arriscou e saiu em voo criativo pelos espaços físicos e simbólicos da FLL.

Texto e Fotos : Fundação Lapa do Lobo