Borges da Silva vai propor a fixação do IMI nas taxas máximas por “obrigação imposta pelo governo devido ao PAEL “

O assunto está agendado para discussão e deliberação na reunião de Câmara extraordinária, marcada para a próxima Segunda Feira, 21 de Novembro. O autarca de Nelas irá propor a fixação das taxas máximas do Imposto Municipal sobre os Imóveis, sendo que o governo fixou em 0,45% a taxa máxima para os prédios urbanos, ou seja, uma redução de 0,05%. A proposta é assim de 0,45% para os prédios urbanos e de 0,8% para os prédios rústicos. A informação dos serviços técnicos da autarquia, a que tivemos acesso, dá conta da necessidade de se fixarem estas taxas “pois a isso está obrigada a Câmara Municipal de Nelas,devido ao Plano de Ajustamento Financeiro/PAEL”.

Ao nosso jornal, Borges da Silva confirmou que “vamos propor a taxa máxima de IMI para 2017, porque a isso seremos obrigados, face às graves condições acordadas em 2012 com a Reestruturação Financeira e o PAEL nível 1”. O edil de Nelas, que pretendia propor a redução da taxa para 0,375%, assume que agora terá que se aguardar “que a legislação seja alterada para resolver problemas como o da Câmara de Nelas que entretanto está já muito abaixo do nível máximo de endividamento legalmente permitido”.