Dois momentos culturais culminaram a presença da ACERT na Fundação Lapa do Lobo

O passado sábado, 12 de novembro de 2016, foi mais uma noite de afetos entre a Associação Cultural e Recreativa de Tondela (ACERT) e a Fundação Lapa do Lobo (FLL), partilhado com quem assistiu a mais dois momentos extraordinários.

This slideshow requires JavaScript.

No âmbito dos festejos de 4 décadas de existência, a ACERT visitou a FLL para, em parceria, proporcionar 4 momentos culturais distintos. Depois de, a 22 de outubro, termos assistido aos dois primeiros momentos – o monólogo “Em memória ou a vida inteira dentro de mim”, de Pompeu José, numa co-produção do Trigo Limpo Teatro ACERT e do Grupo de Teatro da Vela, seguido de “Um capítulo sobre… teatro”, com o protagonista da peça apresentada – no passado sábado viveram-se mais dois momentos.
Inaugurou-se a Exposição “A Viagem do Elefante”, que documenta a Viagem do Elefante Salomão, num relato que cruza 14 localidades com a digressão do espetáculo de rua do Trigo Limpo teatro ACERT, que entre Maio e Setembro de 2014, atravessou as terras de Viseu Dão Lafões, apresentando-se em praças e largos de catorze localidades. Os textos são da responsabilidade de Sara Figueiredo Costa e as fotografias da autoria de Carlos Teles e Ricardo Chaves. A inauguração da exposição contou com a presença de algumas pessoas que participaram no teatro rua de “A Viagem do Elefante”, quer em Canas de Senhorim (Nelas), quer em Carregal do Sal, que enriqueceram a conferência, conduzida por Rui Fonte, da FLL, e José Rui Martins e Pompeu José, da ACERT. A exposição estará patente até final de dezembro de 2016.
Seguiu-se, no Auditório Maria José Cunha, o espetáculo “20 dizer”, onde José Rui Martins e Luísa Vieira “partilham o palco num exercício de comunicação, explorando a musicalidade da palavra e a simplicidade de dar voz a seduções emotivas. A leitura poética voando em múltiplas geografias com sonoridades que a embalam e impacientam (…) A música em incessantes movimentos, adoçando e resistindo a sentires e sentidos por onde a palavra devaneia (…). Palavras de sabor poético ditas e musicadas. Momentos íntimos e despretensiosos espalham recados de indignação ou carinho pelos segredos da vida e por uma felicidade de compartilhar desassossegos”.
Quatro afetos culturais, a celebrar quatro décadas de existência da ACERT, marcados por momentos distintos proporcionados na FLL, que vincaram nos presentes a vontade de celebrar mais vezes a cultura, independentemente do motivo e do formato, seja ele teatro, fotografia, poesia ou música.

Texto e Fotos : Fundação Lapa do Lobo