Biblioteca da Fundação Lapa do Lobo com iniciativas de forte cariz criativo para 2017

As atividades da Biblioteca da Fundação Lapa do Lobo (BFLL) dividem-se em dois grandes grupos: atividades de gestão e organização (aquisição, catalogação, empréstimo domiciliário, indexação, etc.) e atividades de dinamização (com a realização de atividades culturais e de intercâmbio com outras entidades).

Com quase 6 anos atividade, a BFLL é hoje um serviço da Fundação Lapa do Lobo consistente e diferenciador nos contextos culturais e educativos dos concelhos de Nelas e Carregal do Sal, fazendo parte, inclusive, da Rede de Bibliotecas de Nelas, no contexto da qual concretiza muitas das suas atividades.

O trabalho de gestão e organização dos documentos, menos visível e evidente para o público, tem enriquecido a BFLL de títulos e obras, a um ritmo regular, adensando o número de livros disponíveis para os nossos leitores, que também vão sendo cada vez mais.

Sobre as atividades de dinamização, houve sempre duas preocupações: consolidar algumas atividades de promoção do livro e da leitura que já haviam fidelizado diferentes públicos e criar novas atividades, para captação de novos públicos, abraçando novas formas de incentivar para a leitura.

No capítulo das atividades que se mantiveram de anos anteriores, destacamos três.

1. O boletim informativo “O Uivo” – periódico de edição bimestral. Um modelo simples, em formato papel, de divulgação e informação das atividades culturais, educativas e sociais que acontecem na Lapa do Lobo.

2. As tertúlias “Um capítulo sobre…”, que já versaram sobre música, comédia, palavra, Banda Desenhada e, muito recentemente, Teatro. Nestas tertúlias, o principal objetivo é pôr em contacto o público com um convidado que, apesar de não ser escritor, serve-se da escrita na sua ação artística ou área de criação. Teremos mais capítulos sobre fotografia e cinema em 2017.

3. A parceria com o Rádio Clube do Dão, que pretende proporcionar aos ouvintes um momento dedicado aos livros, quer com leituras diárias de diferentes autores, quer sugestões de obras e autores para leitura.

Estes três exemplos são apenas parte do trabalho desenvolvido pela BFLL, integrado na oferta cultural e educativa da FLL. Foram escolhidos pelo facto de exemplificarem três diferentes formas de atuação: trabalhar para a comunidade local, convidar pessoas a visitar a FLL e cooperar com entidades parceiras. É esta tríade que faz com que as atividades, sendo diferenciadas, tenham uma adesão que nos satisfaz bastante e nos permite continuar a trilhar este caminho. Contudo, é importante estar atento e ir acrescentando novas formas de atuação.

Uma das atividades que destaco neste ano é a iniciativa “Ler para crer”, que consiste num breve depoimento de diferentes pessoas, que falam durante 90 segundos sobre o seu livro preferido. Dessa declaração resulta um breve filme com menos de dois minutos, que se divulga nas redes sociais, ao ritmo de um por semana. Foi, ainda é, pois só termina em dezembro de 2016, um projeto que contou com a colaboração de inúmeros entrevistados (das mais diferentes áreas sociais, culturais, económicas e profissionais), tendo registado milhares de visualizações. Os filmes “Ler para crer” estão disponíveis no facebook da FLL e no youtube. Outra grande iniciativa, que terá a 2ª edição em abril de 2017, é o “Elos de Leitura – Festa do livro e da leitura”, organizada pela Rede de Bibliotecas de Nelas, da qual a BFLL faz parte, e que promete pôr o concelho de Nelas a ler e a fazer dos livros a sua companhia diária. Destaca-se também o “Isto aqui – Oficina musico-literária”, que terá como mote histórias escolhidas por filhos musicadas pelos pais.

Para o ano de 2017, no sentido de – como se enunciava há pouco – criar novas atividades e fidelizar novos públicos, a Biblioteca da FLL irá trabalhar mais com as pessoas e para as pessoas, numa ligação muito próxima com as entidades que, como nós, fazem dos livros o estandarte das suas atividades. 2017 será um ano de elos, laços e afetos com a terra e com as suas gentes, através da promoção de atividades que envolvam as pessoas na criação, conceção, produção e divulgação do livro e da leitura.

Para além das atividades que vamos manter, que fazem parte do ADN da BFLL, e sem querer desvendar muito do que se pretende concretizar, destacam-se três atividades, ambas ligadas às pessoas, às ruas, aos bairros, à identidade. São os projetos: “Terra fértil”, que se pode sintetizar (embora não se resuma a apenas isso) numa recolha de histórias da região; “Sala deSespera” – um monólogo à volta de poemas e poetas, com conceção do Coletivo Orelhas Moucas e, por último, “Contos de Fole” – leituras de rua ao som do acordeão, pelas aldeias e vilas dos concelhos de Nelas e Carregal do Sal.

Como ponto final, reforço que, em consonância com todo o trabalho desenvolvido pelos diferentes serviços e apoios da FLL, a Biblioteca trabalha no sentido de enriquecer culturalmente a comunidade, para que todos sejamos atores mais ativos, atentos e participativos na sociedade.

Rui Fonte

Coordenador das atividades da Biblioteca da FLL