Conferência Luso-Brasileira sobre Acesso Aberto no IPV

O Instituto Politécnico de Viseu (IPV) vai receber, de 2 a 4 de novembro próximo, a 7ª Conferência Luso-Brasileira de Acesso Aberto (ConfOA). Desde a realização da primeira edição, em 2010, que o evento é organizado em parceria pelos Serviços de Documentação da Universidade do Minho (SDUM), pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (FCT) e pelo Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT). A conferência deste ano tem ainda como parceiro na comissão organizadora o Instituto Politécnico de Viseu.

O evento pretende reunir as comunidades portuguesa e brasileira que desenvolvem atividades de investigação, desenvolvimento, gestão de serviços e definição de políticas relacionadas com o acesso aberto ao conhecimento, através de repositórios e de revistas de acesso aberto, em instituições de investigação e de ensino superior. É objetivo das conferências promover a partilha, discussão, produção e divulgação de conhecimentos, práticas e investigação sobre o acesso aberto em todas as suas dimensões e perspetivas, servindo de catalisador à disseminação de políticas, investigação e desenvolvimento na área.

A edição de Viseu conta a participação de mais de 250 professores, investigadores e bibliotecários e profissionais da área, dos quais 50 são brasileiros.

Acesso Aberto e Ciência Aberta (práticas e implicações); Repositórios de publicações científicas; Revistas científicas de acesso aberto; Gestão de dados científicos abertos e repositórios de dados científicos; Políticas e mandatos de acesso aberto; Publicação institucional (editoras universitárias e outras iniciativas); Interoperabilidade entre os repositórios e outros sistemas de informação de apoio à atividade científica e académica; Sistemas de gestão da Ciência e Tecnologia (CRIS); Preservação digital; Direitos de autor; Acesso aberto, bibliometria e métricas alternativas; são os temas a serem tratados e debatidos no âmbito desta conferência.

O programa consigna o dia 1 de novembro para a receção aos participantes. Os dias 2 e 3 são preenchidos com intensas sessões de comunicações, conferências, mesas redondas e apresentações de pósteres, que corporizam a componente científica do certame.

No total serão apresentadas 55 comunicações e divulgados 30 pósteres.

Relevo para conferência de abertura “From Open Acess to Open Science”, a cargo do professor Stephen Curry, do Imperial College London.

O último dia do evento, 4 de novembro, conta com a realização de 3 workshops, que se realizam em paralelo, em três locais distintos: Workshop 1 – Acesso Aberto no IPV: Tudo sobre o Acesso Aberto no IPV: as insfraestruturas, os serviços e os requisitos FCT e H2020 (Instituto Politécnico de Viseu); Workshop 2 – Sistemas CRIS: Sistemas de Gestão de Ciência e Repositórios (Instituto Politécnico de Viseu) e Workshop 3 – OpenAIRE Portugal: Ciência Aberta e os Requisitos dos Financiadores: Open Access e Open Data no Horizonte 2020 (Universidade de Coimbra).

As edições anuais das conferências luso-brasileiras surgem na sequência do Memorando de Entendimento assinado entre os Ministros da Ciência e Tecnologia de Portugal e do Brasil, em outubro de 2009, e realizam-se desde 2010, alternadamente, em cidades dos dois países: 1ª ConfOA – Braga (2010), 2ª ConfOA – Rio de Janeiro (2011), 3ª ConfOA – Lisboa (2012), 4ª ConfOA – São Paulo (2013), 5ª ConfOA – Coimbra (2014), 6ª ConfOA – Salvador da Bahia (2015), e este ano, em Viseu, a 7ª ConfOA.

Programa e inscrições em: https://confoa.rcaap.pt/

Informação adicional sobre o evento: Professor José Costa (965408253)

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 26 de outubro de 2016

Joaquim Amaral | Comunicação e Relações Públicas IPV

[email protected]