Plenário do PS : A montanha pariu um rato

A reunião decorreu ontem pelas 17h30, na sede do PS, com a presença de cerca de 70 militantes e autarcas, com mais de metade a terem que ficar na rua, por insuficiência de espaço, de acordo com fonte contactada pelo nosso jornal.

Mais de 60 militantes e autarcas do PS apresentaram hoje no plenário do partido duas moções : louvor ao trabalho desenvolvido pelo presidente da Câmara, Borges da Silva, e apoio à sua recandidatura e outra a ps-1exigir  a demissão do presidente da Comissão Política Concelhia, Adelino Amaral, repudiando também as posições de oposição assumidas pelos vereadores do PS, Adelino Amaral e Alexandre Borges, que estão a fazer uma “coligação negativa”, ao executivo PS. As moções acabaram por não ser votadas, depois de mais de quatro horas de discursos e intervenções, com a larga maioria do tempo a ser consumido pelo líder da concelhia, Adelino Amaral. O próprio acabou por não apresentar a moção à votação, apesar deste assunto constar na ordem de trabalhos, por ele definida. Perante o impasse criado, largas dezenas de militantes acabaram por abandonar a sede do PS. Um militante, em declarações ao nosso jornal,mostrou-se muito agastado com a situação e lamentou ter ali estado “tantas horas, sem qualquer resolução”. Outro militante do partido, afirmou ter presenciado “mais um capítulo negro nesta novela”.”Estivemos sujeitos a um autêntico massacre de mais de quatro horas, em que mais de três foram usadas pelo presidente da Concelhia, que tudo fez para que as moções não fossem lidas, não as colocando depois à votação”, explicou.

Ponto constante na ordem de trabalhos, este sim discutido, foi a situação financeira da estrutura concelhia, que reflete as dificuldades do partido a nível nacional, tendo ficado decidido convocar nova reunião para solicitar aos eleitos socialistas uma contribuição para ajudar no pagamento das despesas mensais, que incluem a renda da sede.

Reproduzimos as moções apresentadas :

MOÇÃO 1

Os militantes e simpatizantes do PS de Nelas, nos quais se incluem vários autarcas eleitos nas sua listas, expressam aos órgão próprios do partido, locais, distritais e nacionais, e manifestam publicamente o seguinte:

CONSIDERANDO:

– Os 10 Grandes Compromissos que constam no Programa de candidatura do Partido Socialista á eleições autárquicas de 2013;

– Analisando o trabalho efectuado pelo Presidente da Câmara Dr. Borges da Silva, após 3 anos de mandatos se conclui que grande parte dos objectivos propostos à população do Concelho estão ou concretizados (por exemplo o equilíbrio das finanças municipais) ou estão criadas as condições para a concretização de outros (por exemplo a baixa de impostos e construção de Etars);

Os militantes, simpatizantes e membros das listas de candidatos do PS, reunidos em Plenário no dia 16 de Outubro de 2016;

DELIBERAM:

Um voto de louvor ao Presidente da Câmara Municipal de Nelas pelo trabalho desenvolvido, francamente positivo e de acordo com o Programa apresentado, principalmente devido às condições financeiras encontradas;

– Solicitar ao Dr. Borges da Silva a continuação do esforço para a concretização dos projectos que tem em mão de modo a manter aberta a janela da prosperidade e na confiança do futuro no Concelho de Nelas;

– Apoiar inequivocamente a recandidatura do Dr. Borges da Silva ao novo mandato autárquico de 2017 a 2021 como Presidente da Câmara Municipal de Nelas nas lista do Partido Socialista, manifestando-lhe toda a solidariedade e colocando-se ao seu lado para afirmar como vitorioso o projecto do Partido no Concelho para bem do desenvolvimento e do bem- estar das sua populações.

– Acima de tudo quem manda é o povo.

– Viva a Democracia.

– Viva o PS.

Nelas, 16 de Outubro de 2016

MOÇÃO 2

Na sequência das tomadas de posição recentes do Presidente da Comissão Política Concelhia do PS, particularmente:

– A votação fantasma alegadamente realizada pela Comissão Política em 28 de Maio tomando, sem qualquer legitimidade e sem discussão prévia, posição contra a continuação do projecto político do PS iniciado em Outubro de 2013;

-Na recusa do Presidente da Comissão Política Concelhia da convocatória em tempo útil de uma Assembleia Geral de Militantes com a ordem de trabalhos que lhe foi proposta, Assembleia Geral que já não reunia há mais de 3 anos, os militantes e simpatizantes do PS de Nelas, nos quais se incluem vários autarcas eleitos nas listas do PS, descontentes com o rumo político seguido por esses responsáveis, vêm expressar aos órgão próprios do partido, locais, distritais e nacionais, e manifestar publicamente o seguinte:

  • Reconhecer as qualidades de gestão do PS e do Presidente da Câmara no actual mandato, cumprindo os compromissos assumidos, excedendo até, as expectativas criadas ao eleitorado;
  • Repudiar a conduta de dois vereadores do PS, que não pondo em causa a qualidade da referida gestão, se propõem numa coligação conjuntural  e negativa com o Vereador do CDS e os Vereadores do PSD, impedir que tal trabalho prossiga e possa ser serenamente apreciado pelo eleitorado nas próximas eleições autárquicas;
  • Na certeza de que correspondem ao sentir da esmagadora maioria do povo do Concelho, não reconhecem aos referidos Vereadores legitimidade democrática para, por motivos meramente pessoais, violar o compromisso que assumiram perante o eleitorado, de serem solidários com a liderança do Presidente da Câmara de modo a cumprir o Programa Eleitoral que todos subscreveram e que teve a vitória em Setembro de 2013, derrubando o executivo do PSD/CDS que se encontrava no poder e que conduziu o Município a uma situação de calamidade, aliando-se agora de forma estranha a quem na altura combateram;
  • O isolamento do Presidente da Comissão Concelhia e da sua estratégia, deve-se ao não cumprimento há muito as suas principais obrigações como dirigente partidário local para afirmação e reforço do partido socialista no concelho, quer não reunindo com os autarcas eleitos, ou os candidatos e simpatizantes, ou não convocando plenários de militantes, incluindo os requeridos expressamente, quer não exercendo qualquer actividade política de relevo no sentido de junto da comunidade defender o projecto político dos autarcas eleitos pelo partido de modo a esclarecer os militantes das posições que tem tomado às escondidas e no segredo de quase todos, indo mesmo contra todas as deliberações dos órgãos distritais e nacionais num completo desrespeito não só pelos Socialistas de Nelas, mas também por toda a Estrutura Distrital e Nacional do Partido Socialista.
  • A história do Partido Socialista de Nelas tem-se pautado sempre por um registo de abertura e dialogo, tolerância e respeito pela opinião de todos, mesmo que por vezes divergente, não comportando uma imagem de “revanchismo” pessoal nem políticas de terra queimada, que desde há alguns meses aos invés de olearem a máquina, ajudam a oposição a encravá-la prejudicando sobremaneira a imagem do PS que está muito para além de parte da Comissão Política e que tem em vista o melhor para o nosso CONCELHO.
  • As posições do Presidente da Concelhia, a não serem travadas, clara e irresponsavelmente prejudicam uma estratégia vitoriosa do projecto político do Partido Socialista no Concelho de Nelas nas próximas eleições autárquicas.

EM CONSEQUÊNCIA:

  • Repudiar o comportamento político do Presidente da Comissão Política Concelhia do Partido Socialista Adelino Amaral e, de modo a poder iniciar-se um ciclo de reforço das posições políticas do PS que conduzam à renovação reforçada nas próximas eleições autárquicas da confiança política conquistada em 2013;
  • Exige-se a imediata demissão do Presidente da Comissão Política Concelhia do PS Adelino Amaral;
  • Apelando-se a um clima de união dos socialistas que se sobreponha a projectos pessoais, conduzindo a uma grande vitória do PS em 2017, e impedindo, assim, o regresso ao poder daqueles que levaram o Concelho de Nelas à falência e a um retrocesso no desenvolvimento económico e no bem-estar das suas populações e de todas as suas Freguesias.

Nelas, 16 de Outubro de 2016