Estão a nascer na Sub Região do Alva vinhos elegantes e de aromas intensos na expressão fiel do seu “terroir”

A Quinta Vale do Cesto, situada em Oliveira do Hospital, é uma empresa constituída recentemente para abraçar uma exploração vitivinícola em Lajeosa. Contanto com três vinhas, que ocupam um total de oito hectares, o projeto tem forte cariz familiar e a aposta neste setor tem por base o gosto pela área de um dos seus proprietários, bem como uma pequena vinha herdada nesse local pelo seu pai. A Quinta terá data de 1987 em sua honra, embora esteja há mais de três gerações na família.

A conjugação de vinhas velhas (cerca de 3,5 hectares) com vinhas novas, para produção de vinhos com perfis diferentes, é um dos pilares do projeto  que arrancou em 2015 com plantação e melhoramentos nas vinhas, com o objetivo de criar uma identidade própria. A ampliação da adega existente é outro dos pilares, para ter capacidade de resposta ao nível da vinificação, engarrafamento e armazenagem, num mercado que é promissor. Assumindo a sustentabilidade económica como fundamental, os proprietários juntam os seus dois projetos  – Salsicharia Serra D’Alva e Quinta Vale do Cesto -, pois estando esta marca de charcutaria já solidamente presente no mercado internacional (e mais recentemente no nacional), entendeu-se fundamental que existisse um vinho que evidenciasse uma boa relação qualidade/preço. O associar das duas marcas, numa estratégia de “cross selling”, permite um arranque mais estruturado desta nova vertente de negócio. Já o rótulo “Muros Vadios” posiciona-se para um segmento mais alto, com vinhos dotados de grande caráter e vigor, mas sempre com a elegância do Dão. O objetivo é dar expressividade à Quinta, dado que a sua imagem de marca são os seus muros, feitos à medida para as novas vinhas. No entanto, não é só nos muros, mas também nas uvas que esta terra prodigiosa dá, rodeada de granito, pinheiros, cedros e demais vegetação e solos caraterísticos da região, num clima, altitude e declive, propícios à viticultura. “Alva Magna” e “Quinta Vale do Cesto” serão os dois rótulos de excelência, verdadeiros ex libris com edições limitadas: o primeiro para vinhos monocasta ou em blend, e o segundo para as grandes reservas da quinta. Sinónimo da qualidade das uvas é o facto de todos os vinhos serem DOC (sendo dois “Muros Vadios” rotulados como Colheita Selecionada, pela qualidade apresentada). São diversas as castas plantadas, com predominância de Touriga Nacional, Tinta Roriz, Jaen e Alfrocheiro, nos tintos e Encruzado, Malvazia Fina e Cerceal, nos brancos.

Gama de vinhos vai incluir Grandes Reservas

Este ano chegam ao mercado os dois primeiros “Muros Vadios”, em versões tinto, branco e rosé e o “Serra D’Alva” tinto. No próximo ano o “Alva Magna” obtido das vinhas velhas e em 2018 os Grande Reserva “Quinta Vale do Cesto”.

O “Muros Vadios” tem como mercado-alvo privilegiado o internacional e a nível nacional as garrafeiras e os restaurantes de qualidade média- alta (preços aproximados à saída da adega: Branco 5€; Tinto 6€; Rose 5€)

O “Serra D’Alva” tinto tem como mercado privilegiado também o internacional e os restaurantes e tascas típicas locais, tendo dois tipos de oferta: a garrafa (preços aproximados à saída da adega de 3,5€) e o Bag-in-box 5 l (com preço indicativo de 8,25€).

Contactos:

António Figueiredo

[email protected]

[email protected]

https://www.facebook.com/quintavaledocesto

This slideshow requires JavaScript.