Congresso Mundial de Investigação em Saúde realiza-se pelo 3º ano em Viseu

A Escola Superior de Saúde de Viseu (ESSV) leva a efeito nos próximos dias 29 e 30 de setembro o “III Congresso Mundial de Investigação em Saúde” (3rd World Congress of Health Research). O evento, que decorre no auditório desta escola superior do Instituto Politécnico de Viseu, conta já com cerca de 500 participantes inscritos, oriundos não só de Portugal, mas também do Brasil e de diversos países da Europa.

Informação IPV_Congresso MundialSeis conferências dominam o programa do congresso.

As três primeiras decorrem no dia 29 de setembro: Conferência inaugural (“Novas infeções velhos desafios” e “O cancro em Portugal), Conferência II – Os imigrantes e a saúde pública (“Do no harm: a importância de um atendimento de saúde competente, na consulta a refugiados”, “Redes de apoio e cuidados dos imigrantes idosos em Portugal” e “Processo de cuidados entre enfermeiros e imigrantes em CSP”) e Conferência III – Investir nas famílias: Ganhar o futuro (“Igualdade de género e vulnerabilidade”, “Ética e reprodução medicamente assistida” e “Cuidar a família em ambientes de grande complexidade”).

Neste primeiro dia do evento, o programa contempla ainda um momento musical e a sessão de boas-vindas, com a participação do Presidente do IPV, eng.º Fernando Sebastião, Presidente do Congresso e da ESSV, professor Carlos Pereira, e dr. José Manuel Tereso, Presidente do Conselho Diretivo da Administração Regional do Centro, I.P.

No segundo dia do certame, 30 de setembro, têm lugar as outras três conferências: Conferência IV – Saúde mental: Uma prioridade de saúde pública (“Políticas e planos de saúde mental – Realidade ibérica”), Conferência V – Cuidados paliativos: Uma necessidade emergente (“Formação e investigação avançada em cuidados paliativos” e “Plano estratégico em cuidados palitivos”) e Conferência VI – Enfermagem de reabilitação: Intervenções e impacto na promoção da saúde da população (“Evolução e pertinência da enfermagem de reabilitação” e “Ação da enfermagem de reabilitação: Ganhos na saúde da população”).

Tempo ainda para celebrar o “Dia da ESSV” e para mais um momento musical.

Nos dois dias, decorrem em paralelo sessões com comunicações orais, pósteres e simpósios temáticos. O congresso conta também com um forte programa social, com o enfoque na cultura e gastronomia locais.

Com a realização deste congresso, a organização pretende “contribuir para a discussão dos temas mais atuais e prevalentes nas diferentes áreas da saúde”. Neste sentido, o evento pretende promover o debate e a reflexão entre os profissionais da saúde propiciando sinergias e parcerias com vista à cooperação em investigação, desenvolvimento & tecnologia no domínio dos cuidados de saúde; Partilhar experiências nacionais e internacionais de investigação, formação e projetos de intervenção em saúde; Construir redes de discussão sobre dimensões associadas à demografia, natalidade e políticas de saúde; Promover a discussão científica acerca dos novos paradigmas de intervenção em saúde; Discutir questões técnicas, éticas e políticas relacionadas com as novas culturas da segurança do doente; Estimular a divulgação científica nacional e internacional no âmbito da saúde.

Para o presidente do Congresso e da ESSV, professor Carlos Pereira “este encontro científico, dirigido a todos os profissionais de saúde e investigadores, organizado em sessões plenárias, comunicações baseadas em resultados de investigação e mesas redondas com convidados de reconhecido mérito (nacional e internacional), será um sucesso e a partilha de conhecimento prezada por todos”.

O III Congresso Mundial de Investigação em Saúde é um evento científico reconhecido e apoiado pela Escola Superior de Saúde de Viseu; Centro de Estudos em Educação, Tecnologias e Saúde (CI&DETS) do Instituto Politécnico de Viseu e Caixa Geral de Depósitos. Os mais de 600 trabalhos de investigação submetidos vão ser avaliados pelo comité científico do congresso, sendo que os resumos selecionados para os simpósios, comunicações orais e postéres serão publicados nas revistas Millenium e Atención Primaria.

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 7 de setembro de 2016

Joaquim Amaral | Comunicação e Relações Públicas IPV

[email protected]