“A concretização do Museu do Vinho do Dão é um imperativo”

Borges da Silva, edil de Nelas, fala-nos da Feira do Vinho, com olhos postos no futuro, para reforçar a centralidade de Nelas e do Dão no mapa vínico regional e nacional

O que podemos esperar da Feira do Vinho do Dão que assinala 25 anos ?

A Feira do Vinho do Dão comemora em 2016 as bodas de prata, isto é, há 25 anos consecutivos que a Câmara Municipal de Nelas assumiu um compromisso e assim o tem respeitado estrategicamente – encabeçar todos os esforços e dinâmica de desenvolvimento da região demarcada do vinho do Dão, do enoturismo, da economia, e criar as condições favoráveis aos produtores de excelência que, particularmente no Concelho de Nelas continuam a ser uma referência. A Feira do Vinho do Dão é o palco anual onde tudo isto se celebra, se vive e se renova. Por isso mesmo, o evento deste ano será um dos melhores de sempre, com número de produtores e sobretudo de vinhos em prova a bater todos os recordes, com uma praça de alimentação recheada de sabores regionais, com iniciativas particulares de qualidade, num certame profissional de vinhos e, com o tão esperado teatro único, original, fabuloso … “As Músicas que os Vinhos Dão”, que só por si, pela qualidade evidenciada nos dois anos anteriores, trará milhares de pessoas ao certame.

Uma das principais constatações de vários produtores é que definitivamente esta Feira deverá afirmar-se como uma feira da especialidade, mais voltada para profissionais e clientes potenciais do sector. Que acções e iniciativas têm levado a cabo nesse sentido ?

Pelo número de expositores presentes na Feira, pela dinâmica exponencial que se assiste diariamente nas redes sociais sobretudo no Facebook da Feira do Vinho do Dão, acreditamos que a estratégia de comunicação e promoção desenhada foi a acertada, da qual se destacam naturalmente as duas acções promocionais especificas que realizámos em duas Garrafeiras : uma de Matosinhos (Garage Wine) e outra de Lisboa (Garrafeira Nacional). Mais uma vez a Câmara de Nelas apostou no mercado alvo dos produtores, das suas permanentes necessidades de demonstração dos seus vinhos para mercados comerciais extremamente competitivos, levando para o efeito, a competência do critico de vinhos Luís Lopes associada à criatividade gastronómica do nosso conterrâneo Chefe Diogo Rocha, e o resultado não poderia ser melhor. Excelentes comentários aos vinhos do Dão, a surpresa que os brancos continuam a provocar, e a organização imediata de grupos de enófilos que vêm visitar a Feira, ficando um/duas noites no concelho e na região. Mais uma vez o Município de Nelas demonstra o seu potencial turístico, pelo que oferece, pelos alojamentos e restauração, pela partilha de bem estar com o termalismo, entre as demais características endógenas diferenciadoras.

A área de gastronomia tem vindo a ser reforçada. Nesta edição a parceria com o Chef Diogo e o crítico Luís Lopes, trás um grande evento gastronómico e vínico. Esta é uma das grandes apostas, incluindo mais opções para os visitantes em termos de oferta gastronómica?

Sempre defendemos a Feira do Vinho do Dâo como um certame profissional de vinhos que se valoriza também pela qualidade gastronómica que em paralelo é proporcionada a quem visita a Feira,ganhando maior notoriedade por conviver com uma marca cultural única, original, criada especificamente para celebrar o Vinho e a Cultura da Vinha no Dão … o Musical. Este trinómio (vinhos – gastronomia-exclusividade cultural), é por nós absolutamente defendido e todo o investimento municipal e dos parceiros como a Fundação Lapa do Lobo e a Caixa Agrícola ou até mesmo, este ano em particular reforço, a Verallia, tem este grande propósito – reforçar anualmente a única feira de vinhos de toda a região demarcada do Dão, recebendo produtores de todos os 16 municípios que compõem a região, melhorando as condições técnicas de provas de vinhos, desenvolvendo mais experiências de harmonização gastronómica com os vinhos do Dão, investindo nos melhores especialistas que fazem opinião no pais e no mundo sobre este produto,oferecendo à Feira uma singularidade que nasceu na Região e celebra a Região, o espectáculo das três noites da feira. Esta é a única Feira de Vinhos do país que pode dizer bem alto que tem “um Teatro lá dentro”. Estamos orgulhosos e sentimos que os produtores partilham deste orgulho connosco, cada vez trazem mais clientes com eles, famílias, parceiros, amigos, todos se juntam na Feira do Vinho do Dão que Nelas realiza há 25 anos, renovando anualmente a satisfação de estar presente.

O orçamento tem dado um grande salto em termos de valor no seu executivo, sendo actualmente de cerca de 200 mil euros. Que componentes principais explicam esta forte aposta?

O orçamento desta Feira merecia ser o dobro, pelo que vimos reclamando apoios às instituições responsáveis pela promoção turística e económica da região centro, mas tal não tem sido possível em função das orientações que foram dadas à execução dos fundos disponíveis no PO Regional CENTRO 2020. Mesmo assim, a Câmara Municipal de Nelas assume este evento muito para além dos três dias de festa, para a promoção do concelho, de marcas como Nelas e Santar, dos vinhos do Dão da sub região Terras de Senhorim, de toda uma dinâmica económica, cultural e social que diz muito da nossa identidade e atratividade. O investimento é por isso muito inferior ao que devia ser, mas felizmente muito é feito por toda uma comunidade em torno do que o município protagoniza apenas, uma comunidade da qual se destacam as Associações, os agentes da restauração e alojamento, obviamente os produtores de vinho do concelho, as escolas, as Juntas de Freguesia e até mesmo as entidades desportivas. Todos em conjunto contribuem para fazermos uma Feira maior, pelo que se juntarmos o investimento de cada um, percebemos que o evento que estamos a falar é, sem duvida, o maior evento de promoção do vinho do Dão e de toda a sua região.

O que nos pode adiantar sobre as ideias que mantém para as instalações da Federação de Vitivinicultores e sobre o eventual Museu dedicado ao Vinho do Dão, cuja maquete chegou a ser apresentada em 2008 pelo anterior executivo, mas nunca saiu do papel?

A recuperação das instalações desactivadas da Federação dos Viticultores do Dão enquadra-se em projectos já candidatados e será associada à regeneração urbana e modernização do Cineteatro Municipal, no âmbito do Plano de Acção de Regeneração Urbana, recentemente negociado e aprovado pela CCDRC,que a seu tempo será apresentado publicamente. O Concelho de Nelas irá manter, garantidamente, a sua centralidade nos vinhos do Dão, pela história que possui, pelo património que enverga, pelo Centro de Estudos, pela Vila Vinhateira do Dão que é Santar, pelo respeito que cada hectare de vinha nos merece. A concretização de projetos como o Museu do Vinho do Dão, com esta designação ou outra, é um imperativo, não podemos perder mais tempo do que o tempo perdido, que tanto lesou as populações do concelho de nelas. A seu tempo os projetos serão apresentados com o rigor do compromisso à sua execução que este executivo já habituou os munícipes, sem demagogias ou futuros incertos.