Manuel Marques acusa Borges da Silva de “vitimização” e recusa dificuldades na gestão

 DIREITO DE RESPOSTA ao abrigo da Lei de Imprensa :

O atual presidente da Câmara continua na senda das inverdades, direi mesmo Borges da Silva, tem algumas dificuldades em lidar com a mesma verdade, na nota de imprensa, paga com os dinheiro dos nossos impostos, mais uma vez faltou a ela.

Inicia a mesma nota de imprensa dizendo: De entre elas, destaca-se, no imediato,o atraso em“pelo menos 5 dias no fornecimento das refeições no inicio do ano escolar”, refere o autarca deNelas.

Pois bem, o presidente da câmara para se vitimizar convocou uma reunião extraordinária para o dia 02.08.2016, com um único Ponto – Confeção e Fornecimento de Refeições para Alunos do 1.º Ciclo do Ensino Básico e Educação Pré-Escolar (Jardins de Infância) do Concelho, pelo valor de 198.000,00€ sem IVA.

Esta reunião foi tão só e apenas convocada com requintes de vitimização, mas os meus concidadãos e as minhas concidadãs, já não embarcarão neste barco à deriva.

Vejamos, pela sua chefe de gabinete ou assessora, nem sei bem as funções desempenhadas, foi elaborada um informação interna n.º 5.227, datada de 25.07.2016, para abertura do procedimento para a prestação de serviços de confeção e fornecimento de refeições.

Ora, no dia 27.06.2016, dois dias depois dessa informação ter sido emitida, o órgão câmara municipal reune e Borges da Silva nada comunica, mais uma artimanha para se vitimizar.

Um executivo com com seis ou sete assessores ou chefes de gabinete, melhor dizendo, pessoal que apoiam o Gabinete Pessoal do presidente da Câmara, não tiveram tempo mais que suficiente para dar andamento a este procedimento?

Um executivo assessorado com serviços externos que ficam ao municipio mais de 200.000,00€ por ano, não tiveram tempo mais que suficiente para dar andamento a este processo.

Quanto ao Protocolo com a ENDESA, nos seus anexos são só trapalhadas sobre trapalhadas, que nem vou comentar, nada como o tempo para ditar a verdade.

Mas o que preocupará o presidente da Câmara Municipal de Nelas em lhe termos retirado as competencias aos valores superiores a 75.000,00€ para aquisição de bens e serviços e 150.000,00€, dado que até estes valores ele pode contratualizar?

Dizia-me hoje um amigo de Nelas, empresário da nossa praça: “eu entendo que esses valores são demais”.

Que dificuldades terá o presidente da câmara municipal de nelas, quando agora pretende comprar a NELCIVIL, por 250.000,00, sujeitar o assunto previamente à reunião de Câmara?

Que dificuldades terá o presidente da Câmara municipal de Nelas, em sujeitar à discussão as despesas da Festa do Vinho, quando pretende gastar 200.000,00€?

Sabemos que o presidente da câmara há muito chamou para si todos os negócios do Municipio, que dificuldades terá ele, antes de assinar os contratos, levá-los a aprovação do órgão que foi eleito pelo Povo?

Que dificuldades encontrará, Borges da Silva, em comprar cinco carros em segunda mão e não dar conhecimento disso, nas reuniões de Câmara?

Eu sei o que preocupa Borges da Silva é gastar em dois anos um milhão de euros, em festarolas, propaganda, não permitindo que seja fiscalizado.

A Câmara Municipal não é a sua quinta!

A gestão da Câmara Municipal deve ser o mais transparente possível e aberta.

Aliás, foi esta a promessa do Borges da Silva no inicio do mandato autárquico. Só que, tudo se esfumou.

Desafio o atual presidente da Câmara em tornar público os meus votos contra em assuntos de relevância para o nosso concelho.

Votarei contra em questões que não me ofereçam o cumprimento da legalidade, saiam ou não notas de imprensa emitidas por Borges da Silva.

O Vereador do CDS/PP

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies