Politécnico de Viseu. Provedora toma posse e Incubadora de empresas é dinamizada

O empreendedorismo e a inovação são fatores que podem marcar a diferença na atual conjuntura económica em que nos encontramos, sendo, por isso, áreas de intervenção nas quais vários atores da sociedade tentam intervir e fomentar, em especial as instituições de ensino superior.

É nesta linha de ação que o Instituto Politécnico de Viseu (IPV) e a Associação para o Desenvolvimento e Investigação de Viseu (ADIV) dinamizam um centro de incubação. O principal objetivo da Incubadora de Empresas IPV/ADIV é a promoção e acompanhamento de empresas na sua fase embrionária de arranque, facilitando a sobrevivência das mesmas na sua fase inicial de vida e a devida preparação para um pleno percurso de sucesso no meio concorrencial que é o mercado. Esta valência pretende disponibilizar serviços e espaços a toda a comunidade, em especial aos alunos que concluíram a sua formação académica no IPV, ou que frequentam a sua formação numa das suas escolas integradas, permitindo-lhes criar empresas com mais-valias e postos de trabalho para a região.

Incubadora de empresas: o que é?

Uma Incubadora de Empresas é uma infraestrutura/serviço, que tem como função ajudar na criação e desenvolvimento de pequenas empresas ou microempresas, apoiando-as nas primeiras etapas de sua vida.

O centro de incubação do IPV disponibiliza apoio e assessoria empresarial por pessoal altamente qualificado (através do recurso a docentes e funcionários com larga experiência, quer académica, quer empresarial); facultando ainda informação privilegiada; ambiente dinâmico, jovem e inovador, próprio do meio académico; valor competitivo; gabinetes de incubação, sala de reuniões e outros espaços comuns; serviço de internet, telecomunicações, limpeza, etc.; apoio técnico/administrativo, via ADIV.

Incubadora de Empresas IPV/ADIV

Localizada no Campus Politécnico, esta valência pretende disponibilizar serviços e espaços a toda a comunidade, em especial aos alunos que concluíram a sua formação académica no IPV, que lhes permita criar empresas com mais-valias e postos de trabalho para a região.

Neste sentido, desde 2013, a ADIV tem vindo a dinamizar este centro de incubação. A primeira instalação de uma startup surgiu em setembro de 2014, tendo como promotores da mesma ex-alunos do curso de Engenheira Informática da ESTGV e um promotor externo ao IPV.

“IZINOVE” é o nome da primeira empresa instalada neste centro, que presta serviços através de uma plataforma on-line, onde poderá encontrar uma oferta variadíssima de profissionais, que serão uma mais-valia para solucionar os seus problemas.

O espaço acolhe atualmente a “PROMPTEQUATION UNIP LDA”, empresa ligada ao ramo da informática, que presta serviços de implementação de projetos ERP para clientes internacionais e está dedicada exclusivamente ao mercado internacional. Desenvolve a sua atividade na programação e gestão de projetos e trabalha com tecnologias opensource, nomeadamente a Linux, Odoo, Python, Javascript, CSS, metodologias Agile/SCRUM. Desenvolve ainda infraestruturas privadas na cloud para suporte das necessidades computacionais dos seus clientes.

A mais recente empresa instalada é a “Alves & Rasteiro Lda”. Os promotores propõem-se a desenvolver a sua atividade em diversas especialidades de engenharia, elaboração de medidas de autoproteção e sua implementação, consultoria na área da segurança, peritagens de acidentes de trabalho e de acidentes de viação.

A ADIV foi procurar o feedback junto de um dos promotores da IZINOVE, Manuel Reis, no sentido de se compreender melhor o contributo que o centro deu para o lançamento deste novo projeto.

O que é a IZINOVE? Como é um conceito recente, o que diferencia os serviços prestados pela IZINOVE.

A IZINOVE é um serviço on-line, baseado na web, que permite às empresas prestadoras de serviços, essencialmente de medicina e estética, por exemplo, disponibilizar os horários em tempo real, para que os seus clientes possam também efetuar reservas nesse período disponível. Também facultado nas redes sociais, no facebook, permite ao cliente saber qual a disponibilidade do profissional e assim efetuar a reserva.

Nós disponibilizamos o horário dos profissionais para que após a reserva o cliente disponha do profissional. É esse o ponto diferenciador da IZINOVE.

Como surgiu esta ideia de negócio e como chegaram ao mercado?

Detetámos uma lacuna, o acesso ao conhecimento, com alguma facilidade, da existência de um determinado profissional disponível num horário diferenciado. Por exemplo, após o horário de trabalho, se eu telefonar porque necessito de um serviço de um determinado profissional, talvez não esteja ninguém para me atender. É este tipo de lacunas que a IZINOVE pretende ajudar a resolver.

Como está a correr o negócio IZINOVE e quais são as perspetivas para o futuro?

A IZINOVE está a evoluir muito bem. Para o futuro queremos entrar em mercados internacionais, como o Brasil e a Suíça, isto não quer dizer que o mercado nacional não seja também uma prioridade. Temos feito algumas alterações, como uma aplicação para o smartphone. Pretendemos desta forma simplificar o acesso ao serviço da nossa empresa.

Porquê a ADIV como parceira?

Escolhemos a ADIV como parceira por estratégia, o facto de integrar alunos, agora ex-alunos, influenciou essa decisão, devido à proximidade e facilidade em obter certos recursos, como, por exemplo, no âmbito das licenciaturas e estágios curriculares, além de que, neste caso, a incubadora de empresas tem excelentes instalações.

Optamos pela incubadora do IPV/ADIV, não só pelas razões anteriormente mencionadas, mas também pela empatia que se gerou imediatamente com todos os elementos da ADIV e das condições que disponibilizava. O facto de nos encontrarmos no meio académico facilitou o acesso a recursos humanos altamente qualificados em diversas áreas, tais como Marketing, TDM e Informática. A ADIV também foi importante no sentido em que colaborou com a IZINOVE na divulgação das suas diversas ações, que de outra forma não teria sido possível, ajudando a passar a marca para o mercado. Esta parceria permitiu ainda outras experiencias como por exemplo, a entrevista no Económico TV.

Queria só deixar uma sugestão a todas as pessoas que tenham startups, que necessitem de uma incubadora, procurem a ADIV, porque tem excelentes condições para oferecer”.

A Provedora do Estudante do Instituto Politécnico de Viseu (IPV) tomou posse no dia 27 de julho

A professora Cristina Amaro da Costa foi designada para o cargo por deliberação do Conselho Geral do IPV, em reunião realizada no dia 14 do mês em curso. A docente, nomeada para o cargo pela terceira vez, é Provedora do Estudante do IPV desde 2012. Relembre-se que o mandato tem a duração de dois anos.

Este cargo institucional resulta do consagrado no Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior (RJIES), Lei nº 62/2007, de 10 de setembro. Cada instituição define as suas competências, onde são de evidenciar a defesa e promoção dos legítimos direitos e interesses dos estudantes, bem como a prevenção e reparação de ilegalidades ou injustiças, embora sem poder de decisão. Ao Provedor do Estudante incumbe a articulação entre os estudantes e respetivas associações e os órgãos de gestão da instituição.

Na presença da comunidade académica da instituição, o presidente do Conselho Geral do IPV, dr. João Cotta, conferiu posse à Provedora do Estudante do Instituto Politécnico de Viseu, engenheira Cristina Amaro da Costa.

O presidente do IPV, engenheiro Fernando Sebastião, aproveitou ainda o ensejo para formular votos de felicitações no desempenho do cargo e desejo de uma ampla cooperação institucional.

A recém-empossada Provedora do Estudante agradeceu a confiança em si depositada, relevando o propósito de continuar a realizar o seu trabalho, de uma forma discreta, mas sempre atenta aos problemas e questões colocados pelos estudantes, procurando sempre defender os seus interesses.

Perfil da Provedora do Estudante do Instituto Politécnico de Viseu:

Cristina Isabel Victória Pereira Amaro da Costa, Engenheira Agrícola, docente da Escola Superior Agrária de Viseu (ESAV), mestre em Proteção Integrada e doutorada em Engenharia Agronómica. Leciona na ESAV desde 1995, onde é Professora Adjunta desde 1998. Entre 2000 e 2007 foi sub-diretora da Estação Agronómica Nacional (no ex-Instituto Nacional de Investigação Agrária e das Pescas – INIAP – hoje designado por Instituto Nacional de Recursos Biológicos – INRB).

* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 28 de julho de 2016

Joaquim Amaral | Comunicação e Relações Públicas IPV

HYPERLINK “mailto:jamaral@pres.ipv.pt” jamaral@pres.ipv.pt

* Artigos redigidos ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Viseu, 28 de julho de 2016

ADIV – Associação para o Desenvolvimento e Investigação de Viseu

HYPERLINK “mailto:adiv@adiv.pt/t_parent” adiv@adiv.pt

Joaquim Amaral | Comunicação e Relações Públicas IPV

HYPERLINK “mailto:jamaral@pres.ipv.pt” jamaral@pres.ipv.pt

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies