Lixeira em Oliveira do Hospital removida no Dia Mundial do Ambiente

Integrada nas comemorações do Dia Mundial do Ambiente, que se celebra a 5 de junho, e no âmbito da Agenda 21 Local, o Município de Oliveira do Hospital promoveu, na manhã de sexta-feira, uma ação de erradicação de uma lixeira no lugar de Moledos, na freguesia da Bobadela. A lixeira, numa zona de floresta, tinha sido já identificada aquando da preparação da ação de reflorestação que decorreu no mês passado nas imediações daquela zona, com a colaboração dos alunos da Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Oliveira do Hospital.

Esta ação de limpeza de resíduos em área florestal contou com a participação de alunos da EPTOLIVA, da ESTGOH e do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Hospital, e colaboração da Junta de Freguesia da Bobadela, envolvendo sete dezenas de participantes. Acompanharam os trabalhos os vereadores do Ambiente, José Francisco Rolo; da Educação, Graça Silva; da Juventude, Nuno Ribeiro; das Florestas, Teresa Dias, e funcionários da autarquia.

A iniciativa foi desenvolvida no âmbito do projeto  “Limpar Portugal 2016” levado a cabo, a nível nacional, pela “AMO Portugal – Associação Mãos à Obra Portugal”, um movimento de cidadania que tem por objetivo a limpeza das lixeiras ilegais existentes na floresta nacional, sensibilizando os cidadãos para a importância dos comportamentos ambientalmente sustentáveis.

Com esta ação, o Município de Oliveira do Hospital pretende reforçar o trabalho que tem vindo a desenvolver no âmbito da educação ambiental, envolvendo por isso jovens alunos, voluntários nestas atividades que têm como efeito prático a limpeza e remoção de resíduos de espaços públicos, na sua maioria floresta.

Promotor de ações congéneres nos últimos anos, inseridas no projeto “Limpar Portugal”, o Município de Oliveira do Hospital tem desenvolvido várias iniciativas de sensibilização ambiental, que passam por desenvolver ações junto dos mais novos, crianças e jovens em idade escolar, mas também no âmbito de uma campanha através da qual dirige o apelo, constante, aos cidadãos para a correta deposição dos resíduos nos locais adequados. De referir que no âmbito das políticas de educação e responsabilidade ambiental promovidas pela Câmara Municipal têm sido desenvolvidos esforços para desativação de lixeiras identificadas no território concelhio. No âmbito da remoção destes pontos negros identificados já foi removida mais de uma centena de toneladas de resíduos.

Como refere o vice-presidente e vereador do Ambiente, José Francisco Rolo, “não faz sentido depositar lixo na floresta. O Município de Oliveira do Hospital tem uma linha de recolha que os munícipes podem contactar” (linha verde, 800 20 56 51). O responsável destaca o papel do voluntariado nestas iniciativas de sensibilização ambiental, realçando que “estamos aqui para dar um exemplo cívico porque cuidar do ambiente e da floresta é responsabilidade de todos. Ao mesmo tempo queremos passar uma mensagem pedagógica de que se deve cuidar e proteger, para não depositar resíduos de novo”.

Naquela manhã, os alunos participantes partilhavam a opinião sobre a pertinência desta ação de preservação do ambiente. “É uma iniciativa muito boa”, afirmava Ana Correia, da EPTOLIVA que já participou em ações semelhantes. Opinião partilhada por Luciano Magalhães, aluno da ESTGOH, que espera que “estas iniciativas ajudem a mudar as atitudes das pessoas. Há locais próprios para o lixo não é necessário poluir o ambiente”.

O Pelouro do Ambiente

DSCF6385Município de Oliveira do Hospital, 6 de junho de 2016