Visita do Ministro da Economia a Nelas.Movecho, Borgstena e Faurecia na rota do crescimento

Este slideshow necessita de JavaScript.

– CEO da Movecho denuncia “sensação clara de que estamos a ser perseguidos pela máquina fiscal de Viseu”

A deslocação a Nelas do Ministro Manuel Caldeira Cabral, ficou marcada pela visita, hoje pela manhã, a três das principais empresas do seu tecido económico que, apesar da crise, mantêm uma trajetória de crescimento assinalável. Tendo tido contacto prático com os seus casos de sucesso, falando com responsáveis e trabalhadores, não deixou de levar alguns recados para Lisboa, o mais importante dos quais o de Luís Abrantes. O CEO da Movecho denunciou que “temos a sensação clara que existe uma perseguição,por parte da máquina fiscal de Viseu, às empresas que pagam os seus impostos,relacionada com os benefícios fiscais concedidos de 2010 a 2015”. “Felizmente as 50 empresas atingidas por esta perseguição e com a ajuda da Associação Comercial e Industrial de Viseu, conseguiram anular a situação, que representava mais de 50 milhões de euros de encargo fiscal, a suportar, injustamente, por quem investe, cria riqueza e emprego”, revelou.

Numa breve apresentação da fábrica, adiantou que a Movecho,criada em 1989, tem atualmente 170 trabalhadores e mais de 14 milhões de euros de vendas, produzindo mobiliário para o mercado interno e externo, e apostando claramente nas novas tecnologias e inovação,como é exemplo, de há quatro anos a esta parte, a criação de um departamento próprio de design de autor, usando a cortiça como matéria prima, onde a empresa já obteve diversos prémios.

De entre os principais clientes estão a Lacoste, Volswagen, Ana Aeroportos e diversos bancos como o Santander. Ainda houve tempo no final,para uma degustação dos novos vinhos da Quinta da Alameda, harmonizados com algumas criações do Chef Diogo Rocha, que fez questão de se associar ao evento.

A Borgstena, atualmente com cerca de 700 trabalhadores e a Faurecia, com 133, mas em processo de expansão para cerca de 270 trabalhadores, foram as outras empresas visitadas pelo Ministro da Economia. Ambas as empresas fabricam componentes para a indústria automóvel.

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies