Grafonola publicitária

Com os ventos da Primavera veio a bonança de candidatos à gestão do município de Nelas, uns porque dizem trabalhar 24 h por dia, outros meramente por arrasto e em função de quem vai e por quem vai ser candidato.

O atual presidente coloca-se a jeito para receber o apoio da estrutura distrital/nacional do PS, porque sabe que a estrutura local, a gente da terra, que suportou a sua candidatura, não parece estar disponível para firmar novo compromisso.

Mas porquê precisa este de lançar candidatura pelo PS?!

Simplesmente porquê da grafonola publicitária, com que nos brinda a cada evento, ao resumo da gestão autárquica que tem exercido nestes três anos, vai uma longa distância.

Vai sendo tempo de acabar com alguma da publicidade enganosa, com que tem tentado ludibriar os Nelenses.

A recuperação económica da câmara, é fruto do cumprimento das condições do programa do PAEL que foi firmado pelo anterior executivo, tendo sido iniciado por este, sendo que nada foi acrescentado de novo à execução do mesmo.

Este programa tinha várias obrigações, nomeadamente a redução do prazo de pagamento a fornecedores, por isso qualquer que fosse o executivo os prazos teriam de ser ajustados.

Mas os Planos de Ajustamento Financeiro, não trouxeram só obrigações, trouxeram também forma de as câmaras municipais recuperarem receitas, as quais tinham vindo a ser drasticamente reduzidas, em virtude da crise do tecido económico. Para o efeito potenciou-se em muito a receita do IMI e obrigou-se a que parte substancial deste fosse utilizada para baixar os endividamentos. Como o valor arrecadado do IMI superou em muito as receitas calculadas, logo o endividamento baixou á mesma proporção. Pelo exposto também se percebe, que não há aqui uma gestão fantástica por parte do elenco Camarário, mas sim o cumprimento integral do programa de ajustamento.

Mas em relação à grande obra desta legislatura, as ETAR´s, sabem os Nelenses que o Município foi contatado pelo Governo do PSD á altura, tendo-lhe sido dadas indicações de que seria inevitável proceder á candidatura das obras em questão. Ao contrário de outras candidaturas, que já foram muitas anteriormente, esta de mérito teve muito pouco, sendo apenas o aproveitamento de uma oportunidade de financiamento a 85% a fundo perdido. Quem a deixava escapar?

Dá a entender que este elenco camarário quer à força que os outros lhe reconheçam o “fantástico” trabalho feito, mas pergunto eu, que trabalho? Façam as contas.

Daniel Marialva

Presidente da Comissão Política do PSD Nelas

Este portal utiliza cookies. Ao navegar no site estará a consentir a sua utilização Saiba mais sobre privacidade e cookies