Dia Mundial da Poesia celebra a livre criação de ideias

Celebra-se a 21 de março o Dia Mundial da Poesia – criado na 30ª Conferência Geral da UNESCO a 16 de novembro de 1999. A data visa fazer uma reflexão sobre o poder da linguagem e do desenvolvimento das habilidades criativas de cada pessoa. Este Dia Mundial da Poesia celebra a diversidade do diálogo, a livre criação de ideias através das palavras, da criatividade e da inovação. A poesia contribui para a diversidade criativa, usando as palavras e os nossos modos de perceção e de compreensão do mundo.
Portugal é conhecido, também, como um país de poetas cuja obra literária é mundialmente conhecida. Luís de Camões, Fernando Pessoa, Florbela Espanca, José Régio, Natália Correia, Eugénio de Andrade, Cesário Verde, Miguel Torga, Sophia de Mello Breyner Andersen, são alguns dos poetas portugueses mais conhecidos. No entanto a poesia é um dos géneros literários que menos leitores tem em Portugal!
Recentemente um estudo, realizado em Inglaterra, concluiu que a poesia pode ser mais eficaz que muitos dos livros de auto-ajuda “já que afeta o lado direito do cérebro, onde são armazenadas as lembranças autobiográficas, e ajuda a refletir sobre eles e entendê-los desde outra perspectiva”.
A poesia não é só uma questão de estilo. A descrição profunda de experiências acrescenta elementos emocionais. No poema há uma presença verbal que lhe é dada pelo ritmo, pela sua constituição fonética, pela sua capacidade de expressão. Todos estes elementos encontram o seu instável equilíbrio ao tornarem-se num suporte de expansão imaginativa, num desenvolvimento associativo, numa maior ou menor disponibilidade dos sentidos. A escrita e a leitura são afinal um trabalho de sentido. O poema é a realidade virtual a partir de qual se constitui muito do sentido da vida. A poesia assume um papel que é o da descoberta , da experiência. Na relação que se estabelece entre  autor e leitor ambos partilham um trabalho criativo. A poesia leva-nos ao encontro da sensibilidade, da fantasia, da imaginação … da vida.
A leitura desempenha no desenvolver e enriquecer da personalidade aquisição de conhecimentos, desenvolvimento de espírito critico e abertura às muitas perspectivas por que se pode representar o real. Portugal tem um valioso espólio poético que deve fazer parte dos programas curriculares, e dos seus tempos livres, incentivando as crianças e jovens a ler e a aventurarem-se na escrita. A poesia tem lá de tudo. 
O “eu” somos todos nós – quase, sempre. 
Vítor Santos
traição
Vives sem glamour,
sedução e provocação;
Estás prisioneira,
mas não do teu coração.
Em casa é o teu lar,
na tua cama o teu leito;
Mas é fora – desse lugar,
que vives por inteiro.
A luz de teus olhos,
teu sorriso denuncia.
Não por dormires  – aninhada,
mas pelo que o dia anuncia.
A aventura da traição,
estimula teus sentidos;
É ver – teu coração,
sorrisos irrefletidos.
Vítor Santos