Deputado do Bloco de Esquerda marca presença na Casa do Pessoal da Urgeiriça e reúne com trabalhadores da PSA

José Soeiro, deputado do Bloco de Esquerda, esteve no dia 12 de Março (sábado) em Viseu onde, acompanhado por uma delegação local do  partido, se encontrou com membros da comissão de trabalhadores da PSA Mangualde. A visita destinou-se a recolher dados sobre a situação laboral nesta empresa. A reunião foi esclarecedora e espera-se que tenha desenvolvimentos positivos para os trabalhadores e mesmo para a empresa, uma vez que uma das situações que mais angustiam os operários é a possibilidade real do encerramento do polo industrial de Mangualde pelos custos de produção associados à existência das portagens e  ao custo da energia..
Recorde-se que a fábrica recebe as matérias primas e escoa os automóveis produzidos através da A25 e que o volume do tráfego necessário tanto ao abastecimento desses materiais como ao escoamento dos automóveis se traduz em encargos económicos que a empresa considera excessivos. 
O deputado ficou de levar o assunto ao Secretário de Estado dos transportes  para que se estude uma solução para esta questão.
Por outro lado, tomou nota também de situações relativas às condições, avaliações e remunerações laborais, bem como ao outsourcing praticado pela empresa, ficando igualmente de apresentar junto do Ministério do Trabalho, todas as matérias relevantes que resultaram desta recolha de informação.
Durante a tarde, ainda acompanhado pela mesma delegação local do partido, José Soeiro deslocou-se à casa do pessoal da Urgeiriça a convite da Associação dos Trabalhadores das Minas de Urânio, para participar na celebração da recente vitória dos ex mineiros quanto à questão da atribuição de indemnizações às viúvas dos falecidos por doenças relacionadas com o urânio, bem como ao apoio prestado aos enfermos, vitória esta para a qual o BE, o PCP e o PEV deram significativo contributo ao longo de década e meia de luta.
A sessão, apresentada por João Marques foi aberta por António Minhoto, presidente da referida associação, que fez um resumo dos 15 anos de luta pelo reconhecimento dos direitos sonegados,  recordando os companheiros falecidos por enfermidades relacionadas com a actividade que exerciam.
Seguidamente, o professor Massano Cardoso, usou da palavra para fazer notar que não foi pela ignorância dos riscos associados à actividade mineira e consequente exposição às radiações uraníferas que as justas compensações aos trabalhadores das minas se foram protelando.
No seu breve discurso, tal como os deputados dos partidos mais directamente empenhados na causa, José Soeiro felicitou a ATMU pela exemplaridade da luta travada, em circunstâncias difíceis e tantas vezes hostis, dado que os sucessivos governos foram bloqueando a solução óbvia e sublinhou ainda que só o actual quadro parlamentar, resultante das últimas eleições legislativas permitiu a resolução favorável às justas reivindicações dos trabalhadores, uma vez a crise financeira do país permanece actual. O discurso de encerramento esteve a cargo de José Lapa,  presidente do conselho fiscal da ATMU, após o qual se seguiu um lanche de confraternização destinado a todos os que estiveram presentes na sessão.

A Comissão Coordenadora Distrital de Viseu do Bloco de Esquerda