“A insatisfação com o que temos tem de ser uma constante para que possamos almejar o melhor”

ALEXANDRE BORGES é novo presidente da Direção da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Canas de Senhorim. O também Vice Presidente da Câmara foi eleito em Janeiro e concedeu ao nosso jornal uma entrevista onde revela as principais linhas de ação delineadas. 
Foi eleito presidente da Direção dos Bombeiros de Canas de Senhorim para um mandato de três anos. Em primeiro lugar o que o moveu a tal decisão?  
Além dos anteriores Órgãos dirigentes terem decidido não se recandidatar, o facto de nutrir um carinho muito especial pela Instituição e de acreditar que é demasiado importante para todos para cair num vazio diretivo. Estou ligado a ela há mais de 30 anos e sempre dediquei a ela grande parte do meu tempo, como fazem aliás tantos outros. Acredito no enorme potencial da Instituição e sei que há imensas pessoas (bombeiros e não bombeiros) e instituições que dedicadamente nos apoiam e permitirão certamente, com uma gestão cuidada e dirigida unicamente para o objeto social devido, fazer um excelente trabalho.
Não menos importante ter recebido resposta afirmativa de um conjunto alargado de elementos para integrar os Corpos Gerentes. Só em equipa conseguiria avançar para este desafio.
Que diagnóstico faz da corporação neste momento, em termos de recursos técnicos, financeiros e humanos?
As Associações de Bombeiros têm como principal função suportar um Corpo de Bombeiros, corpos de bombeiros esses que necessitam de uma atualização técnica dos seus meios humanos e materiais incessante. Muitas vezes é dessa evolução constante que dependem o sucesso das operações e, consequentemente a vida de quem necessita de auxílio. Nesse sentido a insatisfação com o que temos tem de ser uma constante para que possamos almejar o melhor. 
Dado o caráter urgente do serviço que prestamos é igualmente imperioso que haja alguma redundância e uma grande disponibilidade em termos humanos daí considerarmos essencial que exista um sentimento de forte orgulho dos voluntários e da população por nós servida na sua Associação para que através disso possamos motivar mais e melhores pessoas a prestarem auxílio ao seu semelhante. 
Que plano de ação e atividades têm já em mente para 2016 e para os restantes três anos de mandato?
Gostaríamos de poder criar uma Equipa de Intervenção Permanente e, curiosamente, a Autoridade Nacional de Proteção Civil recentemente questionou-nos e à Câmara Municipal sobre o interesse em aderir ao projeto, ao qual respondemos afirmativamente tendo a Câmara Municipal e o seu Presidente feito o mesmo. Se isso puder avançar em ambos os Corpos do Concelho será uma mudança estrutural importantíssima para o Concelho e para a segurança dos seus cidadãos e permitirá às associações de bombeiros uma gestão muito mais eficaz e eficiente do seu dia a dia. Pela importância e pelo significado para o futuro seria a medida mais importante que poderíamos levar a cabo.
Pretendemos ainda aproveitar todas as oportunidades que o POSEUR e os fundos comunitários nos possam dar, sejam na substituição de algumas viaturas obsoletas, numa melhor eficiência energética do edifício sede ou, por exemplo, na aposta na formação dos nossos recursos humanos, dos sócios e da população em geral. 
O que têm programado para a dinamização do recém inaugurado auditório ?
Para os Bombeiros será um espaço essencial para poder melhorar as formações internas e externas que prestam, para poder trazer alguns seminários técnicos, para organizar algumas manifestações culturais e até para disporem de um espaço condigno para bem receber e celebrar as datas que se impõe no calendário da Associação. 
Existe um protocolo lavrado entre a Associação e a Câmara Municipal para a utilização do espaço que pressupõe igualmente a cedência pontual às instituições do concelho para realizarem algumas atividades e é objetivo desta direção abrir ainda mais a Instituição a todas e todos pelo que desde já fica o convite para que o façam.
ÓRGÃO SOCIAIS eleitos : 
Assembleia-Geral:
Presidente – Pedro Miguel Borges Polónio
Vice-Presidente – Aurélio Cardoso
Secretário – Pedro André Cardoso
Secretário – Cátia Rafaela Veloso Marques
Suplente – António Eduardo Simões Borges
Suplente – Rui Alexandre Ferreira Cardoso
Direção:
Presidente – Alexandre João Simões Borges
Vice-Presidente – Pedro Miguel Lopes Mota Veiga
Tesoureiro – António Fernando Gomes Ambrósio
Secretária – Sara Josefina Sampaio Santos
Secretário – Luís Manuel Ferreira Gonçalves
Vogal- Pedro Renato Figueiredo Pinto
Vogal – Amândio Albuquerque Almeida
Suplente – Aurélio de Jesus Alves Mendes
Suplente – Osvaldo João Andrade Figueiredo
Suplente – Guilherme Alexandre Borges Cardoso
Conselho Fiscal:
Presidente – Manuel Alexandre Henriques
Vice-Presidente – Luís Filipe Pinto Ambrósio
Secretário – Gonçalo Ferreira da Silva

Suplente – Liliana Raquel Gomes Lopes Domingos