Notícias da Lapa por Marco Costa

Festa da Palavra da catequese
No passado dia 17 janeiro, realizou-se a festa da palavra, simbolizada na cerimónia de entrega da bíblia aos jovens que frequentam o 4º ano da catequese.
Estes jovens receberam a bíblia, na Capela de Santa Catarina,  e assim passaram a ter a palavra de Deus sempre consigo.
Os parabéns aos jovens por prosseguirem no caminho de Deus através da catequese e aos catequistas pela disponibilidade para os ensinar.
Tradições na Lapa do Lobo estão para acabar?
Aquando da realização da última festa de Sta. Catarina, foram nomeados 4 homens para mordomos da Santa Catarina em 2016. 
Foi uma situação anormal, porque a tradição é que sejam 2 os mordomos da padroeira da Lapa do Lobo.
Infelizmente, nenhum dos 4 nomeados aceitou prestar este serviço à padroeira e por inerência à comunidade.
Já há vários anos que é enorme a dificuldade em conseguir homens que aceitem ser, durante um ano, mordomos de Santa Catarina. O leque de desculpas, da maioria, para não aceitar é muito variado e por vezes incompreensível.
Esta situação vem sendo colmatada com a devoção e dedicação de outros homens que aceitaram, de bom grado, prestar esta devoção á Santa e serviço á comunidade pela 2ª ou 3ª vez.
Ser mordomo de Santa Catarina, é para quem já serviu, um motivo de orgulho.
É uma tarefa para um ano, mas na maior parte do ano os serviços a desempenhar não ocupam grande tempo e dão pouco trabalho. O mais “trabalhoso” é a fogueira de Natal, o Domingo de Ramos e a preparação para festa. 
Sendo a Lapa do Lobo uma aldeia ainda de alguma dimensão, é com tristeza que se assiste ao afastamento da população às tradições da sua terra.
Para os Lapenses que nasceram e foram criados nesta terra, de certeza que se lembram como a população era unida e realizavam muitas e boas obras, como por exemplo o Desfile de Carnaval, que durante alguns anos se realizou na Lapa, o rancho folclórico, as cerimónias que se realizavam na Lapa (festas Sta. Catarina, N. Sra. Fátima, fogueiras de Natal, etc.) e que sempre tiveram uma grande participação dos lapenses.
Atualmente, o desinteresse dos lapenses pelo que se vai fazendo na sua terra é enorme. As festas cada vez têm menos participantes (sejam religiosas, sejam civis, sejam realizadas por populares ou pelas associação lapense), o que havia (como o rancho) desapareceu ou tem tendência a desaparecer, como é prova disso, a falta de voluntários para servir a padroeira desta terra.
Numa altura, em que o desenvolvimento cultural na Lapa tem sido enorme (através da Fundação lapa do Lobo e a Associação Contracanto), este “deixar morrer” as tradições da terra é um contra senso.
Eleitos novos corpos gerentes da Associação Desportiva e Cultural Lapense
No passado dia 22 de dezembro realizou-se a Assembleia Geral da ADCLapense para apresentação de listas e eleições para os Corpos Gerentes para o ano de 2016.
Só houve uma lista concorrente, que foi posta a sufrágio dos sócios presentes e eleita por unanimidade.
Os Corpos Gerentes da ADCLapense para 2016 são:
Assembleia Geral
Presidente – Vasco Jorge Matias Antunes de Almeida
1º Secretário – Jorge Manuel Fernandes Silva
2º Secretário – Marco Paulo da Costa
Conselho Fiscal
Presidente – Rui Manuel Marques Polónio
Secretária – Paula Mendes Freitas
Relator – José Manuel Nunes Batista
Direção
Presidente – António Fernandes Costa
Secretária – Carina Rafaela Santos Costa
Tesoureira – Patrícia Maria Andrade Cardoso
Vogal – José Albuquerque
Vogal – António José Marques dos Santos
Vogal – Micaela Mendes Pereira 
Vogal – Maria de Fátima Santos
À nova direção ficam os parabéns e os votos de um ano de grande sucesso. 
Populares mantêm tradição da Fogueira de Natal
Para pena da população da Lapa do Lobo, nenhum dos 4 homens nomeados para mordomos de Sta. Catarina aceitou o cargo, pelo que se pensou que uma das consequências seria não haver a tradicional fogueira de Natal, uma vez que cabe aos recém empossados mordomos a realização da mesma.
Felizmente há pessoas que têm vontade em que as tradições não terminem e por isso fizeram a Fogueira de Natal como é tradição há muitos anos.
Infelizmente, apesar do esforço e boa vontade das pessoas que fizeram a fogueira e não deixaram passar esta tradição, a adesão dos lapenses foi muito reduzida. Ficou o exemplo de que com um pouco de vontade tudo se faz. Parabéns a quem manteve a fogueira da tradição.