Politécnico de Viseu dá posse ao novo presidente da Escola Superior de Educação

O
presidente do Instituto Politécnico de Viseu (IPV), Fernando Sebastião, conferiu posse ao novo presidente da Escola Superior de Educação de Viseu (ESEV),João Paulo Rodrigues Balula, em cerimónia solene realizada ontem, na sala do Conselho Geral dos Serviços Centrais do IPV.
O ato público surge no seguimento da eleição ocorrida em 9 de dezembro de 2015 no seio da Assembleia de Representantes da ESEV, e do despacho de homologação de 4 de janeiro do ano em curso proferido pelo presidente do Politécnico de Viseu.
A cerimónia de tomada de posse, que mandata o doutor João Paulo Balula, professor coordenador da Escola Superior de Educação de Viseu, para o exercício de gestão para o quadriénio 2016/2020, contou com a presença de inúmeros representantes da comunidade académica da instituição: vice-presidentes e administrador do Instituto, presidentes e representantes dos diversos órgãos de gestão das escolas superiores, membros do Conselho Geral, docentes e funcionários; bem como de professores jubilados e membros da comunidade externa.
Após ter dado posse ao novo presidente da Escola Superior de Educação de Viseu, o engenheiro Fernando Sebastião empossou ainda as novas vice-presidentes da ESEV: doutoras Isabel Abrantes e Susana Fidalgo, ambas professoras coordenadoras desta escola superior do IPV.
A tomada de posse surge no seguimento do despacho de nomeação do presidente da ESEV do dia 7 de janeiro do corrente ano, sendo homologado pelo presidente do Instituto na mesma data.
No seu discurso de posse, o doutor João Paulo Balula começou por agradecer “a presença de todos os que se associaram a esta cerimónia e o apoio inequívoco que me foi concedido, em particular por todos os elementos da Assembleia de Representantes da Escola”, estendendo o agradecimento à anterior presidente, doutora Cristina Azevedo Gomes, e ao doutor Belmiro Rego, pela “confiança que em mim depositaram para o exercício de funções de gestão, enquanto vice-presidente da ESEV”.
Antes de elencar resumidamente as linhas de ação do seu programa, o novo presidente da Escola Superior de Educação citou o ensaísta e filósofo português Eduardo Lourenço, pensamento que de alguma forma define o caminho que pretende trilhar “O Futuro, como o sol que esperamos para ver o que nos cerca, é o tempo feito unicamente de esperança, sonho e utopia de onde tudo vem e em função do qual caminhamos para alguma espécie de porto”.
O doutor João Paulo Balula disse estar consciente “das dificuldades que atravessamos nos dias de hoje, mas também com um sentimento de confiança no futuro”. O trabalho dedicado repercute-se nos objetivos a alcançar, relevando o seu firme propósito “em contribuir para construir uma ponte estável no seio da ESEV”. De seguida apontou as razões primordiais que o levaram a candidatar-se ao cargo, nomeadamente “a importância de se dar continuidade às políticas de sucesso desenvolvidas nos últimos sete anos, a experiência que entretanto adquiri para o exercício do cargo, bem como a pronta disponibilidade manifestada por pessoas com enormes capacidades e empenho para constituírem e apoiarem uma equipa capaz de enfrentar os desafios que se colocam à ESEV”.
O novo presidente da primeira unidade orgânica de um instituto politécnico a entrar em funcionamento no país concluiu a sua intervenção com uma exortação lapidar “o sucesso de cada um, será o sucesso de todos”.
O presidente do IPV, por seu lado, começou por endossar “uma primeira palavra de felicitações ao novo presidente e às vice-presidentes, formulando votos dos maiores sucessos ao professor João Paulo Balula e à sua equipa para o exercício de gestão para o qual foram mandatados. Uma palavra de agradecimento também à anterior presidente, professora Cristina Azevedo Gomes, bem como a toda a sua equipa de trabalho, pelo trabalho de grande qualidade realizado”.
A profícua cooperação institucional que se vive há muito na instituição foi outro destaque na sua alocução “a existência de uma cada vez maior colaboração entre as diversas unidades orgânicas é motivo de grande regozijo e orgulho para toda a comunidade do Instituto. A unidade entre todos é o que nos dá força lá fora, permitindo que se consolide e reforce a boa imagem que o IPV tem a nível local e nacional”.
No seu discurso, o engenheiro Fernando Sebastião fez ainda uma análise à evolução dos acontecimentos ocorridos na Educação nos últimos anos, concluindo a sua intervenção com a referência ao atual contexto de mudança de Governo e do período de reflexão sobre as políticas estratégicas do ensino superior para os próximos anos”.
Perfil do novo presidente da ESEV:
O novo presidente da ESEV, eleito para um mandato de quatro anos (2016/2020), é professor coordenador desta escola superior do IPV, onde trabalha desde 1991, do Departamento de Ciências da Linguagem. Atua nas áreas de Ciências Sociais, com ênfase em Ciências da Educação e em Ciências da Comunicação, e de Humanidades, com ênfase em Línguas e Literaturas.
Dos cargos de gestão exercidos nesta escola superior do IPV, destaque para as funções exercidas na qualidade de vice-presidente da ESEV, desde janeiro de 2009 até finais de 2015, bem como presidente da Mesa da Assembleia de Representantes, de 2008 a 2009.
Natural de Viseu, com 48 anos, João Paulo Balula concluiu o doutoramento em Didática, pela Universidade de Aveiro, em 2007; o mestrado em Literaturas Clássicas, pela Universidade de Coimbra, em 1994; e a licenciatura em Humanidades, pela Universidade Católica Portuguesa, em 1989.
Princípios e linhas orientadoras:
Em traços gerais, as linhas de ação e as estratégias de atuação que vão nortear a gestão deste mandato assentam no princípio que pretende que a ESEV assuma a sua vocação enquanto instituição de ensino e de investigação, o que implica conceder particular destaque à fundamentação das práticas de ensino e aprendizagem, à investigação, à transferência do conhecimento e à prestação de serviços à comunidade. Para o efeito, definiram-se quatro princípios fundamentais: preservação da identidade e da coesão da ESEV; promoção da qualidade; reforço do trabalho em rede e das parcerias; gestão participada e transparente.
Para preservar a identidade e a coesão da ESEV é fundamental dar continuidade às políticas seguidas relativamente à oferta formativa nos domínios da educação, da comunicação, do social, das relações públicas, das artes e do desporto, e adaptar a instituição, de forma controlada, às rápidas mudanças dos tempos atuais.
Na promoção da qualidade, a ESEV deve considerar como fundamental um forte investimento na investigação aplicada, mais concretamente no fortalecimento do Instituto de Desenvolvimento e Investigação (IDI); consolidando as linhas de investigação emergentes na ESEV; incentivando a organização de grupos de investigação em áreas com potencial impacto nacional e internacional; criando condições para a elaboração de um maior número de projetos de investigação e promovendo a visibilidade nacional e internacional da investigação produzida.
O reforço das parcerias e do trabalho em rede é um eixo de ação prioritário, que visa continuar a aproximação da ESEV à comunidade, mobilizando todo o potencial da instituição, quer no contexto próximo do IPV, quer no contexto de outras instituições nacionais e internacionais.
No domínio da gestão, o programa incide no envolvimento de toda a comunidade académica da Escola Superior de Educação na cooperação e participação nos processos de decisão. Enfoque ainda no reforço das políticas de captação de receitas próprias, estreitando as relações com outras instituições, nomeadamente em projetos e programas internacionais, bem como no propósito do aumento do número de estudantes internacionais e na valorização das instalações, equipamentos e outras infraestruturas.
* Artigo redigido ao abrigo do novo Acordo Ortográfico
Viseu, 8 de janeiro de 2016
Joaquim Amaral
Comunicação e Relações Públicas – Instituto Politécnico de Viseu